Simbiontes & o "Você deve" - OZYMANDIAS_REALISTA...

Breaking

Ano IV! Quadrinhos, cinema, opinião, downloads, xadrez e mais 200 coisas.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Simbiontes & o "Você deve"


Por: RiptorBR

Obs: isso não pretende ser tanto um review e sim mais uma opinião,usando ainda o tema para uma coisa extra.
Obs-2: Sem spoilers.



O que parecia apenas um "anúncio ao vento" acabou se tornando real: Venom, uma das figuras mais clássicas da mitologia do Cabeça de Teia... Tem um filme solo pra chamar de seu. É algo que é difícil de alguém ter imaginado, ainda mais notando que agora a Marvel e a Sony "andam" de mãos dadas quando o assunto é o Amigão da Vizinhança. Mas o projeto foi "parido", embora a Marvel nada tenha a ver com ele.
Contudo, não é novidade que a recepção, dias antes do lançamento do filme, foi um desastre: o longa foi pisoteado, esmagado, triturado, esquartejado, desmembrado, apunhalado... e tudo mais que termine com "ado" no sentido negativo. Mais ao assistir (no último domingo) sinceramente não vejo por qual motivo eu deveria apenas chutar a boca do Simbionte. O filme é mediano? Sim, mas foi até agradável (mesmo que a parte do "agradável") seja uma maneira carinhosa de falar que existem momentos bem.."osso" de qualidade.
Ao abrir mão de ganhar sozinha com os direitos do Homem-Aranha (apesar das bilheterias dos filmes do personagem ainda irem para ela), a Sony claramente decidiu "fuçar" os 900 personagens que tem direito para criar projetos dentro do universo do mesmo, mesmo que isso signifique "não poder" o usar, e mesmo que isso não tenha necessidade nenhuma.
Nasce assim Venom: um filme com um Eddie Brock mais velho com toda uma carreira já estabelecida no jornalismo, um vilão sem medo, sem freio e sem sentido com aquela motivação de sempre, um romance (afinal o “mocinho” precisa de uma motivação qualquer) e por fim, toda a sequência de reações que um Simbionte poderia gerar em uma pessoa. O filme nunca se esconde do que foi projetado para ser: um produto comercial escancarado, mas interessado em explorar a popularidade do personagem-título do que propriamente desenvolver muito algo. Mesmo que ele tenha de se contradizer.

Não entendeu? Preocupa não, que você vai entender: por mais que traga alterações substanciais, a origem (por exemplo) dos simbiontes é aceitável. O problema é a sucessão de "explicações científicas" furadas pelo próprio roteiro: primeiro é dito que ele "apenas sobrevive em um hospedeiro que consuma oxigênio". Blz. Mas logo em seguida tal condição é esquecida. "O simbionte consome os órgãos internos de seus hóspedes". Ok. Mas com Eddie tal condição torna-se uma ameaça controlável. "A dificuldade em encontrar a simbiose perfeita em laboratório é de fato difícil". Está cer.. Ah é mesmo: lá pode ser, mas é algo absolutamente corriqueiro mundo afora, seja nas desventuras asiáticas de um deles ou mesmo nas transições do Venom quando esta longe de Brock. Ou seja, a coerência já morreu faz tempo aqui. A história (além dessa falta de coerência) no final das contas tem de sobra para lembrar apenas as cenas de ação em que o personagem aparece, além de algumas boas ideias, sobretudo as que envolvem o relacionamento de Brock com o simbionte, visto que o resto só existe para compor uma linha do tempo que possa ser entendível, senão, seria uma bagunça ainda maior.





Isso só mostra que o principal problema do filme fica no script, que parece ter sido mutilado pela edição. E quanto a fidelidade, uma quantidade é (claramente) alterada, tudo para caber em uma história que supostamente "não tem" vilões ou heróis, apenas "caras meio termo".  Embora seja um filme mediano, Venom ainda foi a oportunidade de ver esse "cidadão" de uma forma BEM melhor que aquela coisa de Homem-Aranha 3. Venom está ai, mais intimidador, causando destruição (mesmo com um CGI que hora é positivo, hora é negativo) ao usar seus poderes. Outro ponto de destaque (e um dos poucos pontos que a crítica até gostou, e que já foi dito) é a atuação de Tom Hardy. Não é de fato um dos seus melhores trabalhos, ele mostra novamente que é um ator com recursos. Entretanto,é a batalha interna dele com Venom e a colaboração forçada entre os dois que é a grande cereja do bolo: a voz monstruosa do Simbionte e as reações de Eddie podem ser o grande "bônus" ao ver este filme.

Quanto a ação, há aquelas cenas até bem feitas, com tudo acontecendo na tela de forma acelerada. Só é uma pena que a Sony tenha decidido transformar o filme em um "Indicado para maiores de 13 anos", já que algumas cenas poderiam ter um tratamento mais..."Animal", "gore". Não é algo que deu tanta falta quanto daria em um filme do Deadpool (naturalmente violento), por exemplo.


No fim das contas, esse filme do Venom é um daqueles casos de filmes que eu sei claramente que é mediano, digo que é mediano (por que é), digo que é a "ovelha negra" do "gênero heróico" desse ano, mas que consegue me entreter. Eu acho inegável que ele pode divertir, mas é inegável que ele pode frustrar. É quase uma simbiose conseguir encontrar um balanço para fazer estes dois sentimentos coexistirem enquanto está assistindo a este filme. As boas ideias, a atuação de Hardy e as interações com o Venom fazem dele algo bacana. Mas o roteiro, a história, o vilão e até as intenções dele, não funcionam em nada.

É um filme que não deve ser levado tão a sério e sem expectativa alta, e é melhor assim, já que muito "porém" estará acontecendo na tela. "O novo Mulher-Gato"? "O novo 4F 2015?" Menos,bem menos. A verdade é que um bloco da crítica estava mais afim de, ao invés de criticar (e o que não falta é algo para criticar nesse filme, já que eu em nenhum momento to afim de defender o indefensável), preferiu meter a pedrada logo de uma vez e dizer que "é tão ruim quanto aquele filme que é de fato uma merd@ completa". Pra quem está sendo pago para isso, é irônico.


Pior é que há quem quer enfiar (de certa forma) guela abaixo que você tem de odiar filme x, jogo y, livro quadrado, música, círculo. Não estou a me referir quanto a "assuma: isso é mediano ou ruim". Isso eu assumo, dependendo do caso (como o do Venom). Estou falando do: "você admitiu, mas você deve odiar também".
Um exemplo? Guerra Infinita. O filme é bom? Pra mim é óbvio que é. Mas se você discorda (de forma civilizada), há quem vai tacar pedra em vc por vc "não seguir a massa","não concordar com a maioria". Se não vc é o "diferentão",o isso,o aquilo. Afinal,"atire a primeira pedra na lagoa" quem nunca se divertiu ou gostou de algo que vc sabe que é mediano ou ruim (ou que é considerado ruim ou mediano de forma geral),acho que todo mundo tem sua "lista" disso.


É algo já recorrente na internet, e fora dela. A pessoa que não pode ouvir um "olha, EU acho",ou um "não concordo", ou um simples "eu respeito sua opinião",ou um mero respeito..é uma pessoa que não vai longe,convenhamos. Eu me importo com esse tipo? Não,faz tempo. Esse tipo é,de certa forma,um Simbionte: ele irá sair do seu pé se vc não for compatível (ou no caso,se vc não dar atenção) e irá "pular" para outro que dê isso.
O melhor disso? É que não há esse tipo nesse canal, e mesmo que tivesse,não duraria muito.
Publicado originalmente: 

Um comentário:

  1. Olá!
    Bom, não vi o filme ainda, mas, vi uma crítica que não me deixou muito animada, não. Soube que o Tom harHa está ótimo em sua performance, porém, mal dirigido. Mas, como não assisti, vou dar uma de Glória Pires e dizer apenas que não posso opinar!

    Beijoooo 💓

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog