Pesquisar este blog

smc

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Os planetas mais estranhos já encontrados fora do nosso sistema solar - parte 2


Continuando a nossa singela listinha da semana passada com os planetas mais incríveis já descobertos no universo visível. Vamos lá:

**Algumas imagens são meramente ilustrativas e todas elas podem ser ampliadas clicando-se sobre as mesmas.**
O leve - HAT-P-1 fica a 453 anos-luz, na constelação de Lacerta. É um pouco maior do que Júpiter, mas curiosamente pesa menos do que cortiça. Acredita-se que esse peso se deva pelo fato de que ele possui mais gás (hidrogênio e hélio) do que massa propriamente dita e há quem acredite que de tão leve ele possa boiar na água. De qualquer forma ainda é um planeta muito quente.

Comparação de tamanho entre Júpiter (à esquerda) e HAT-P-1 (à direita).

O infernal - CoRoT-7b fica a 500 anos-luz. Com raio 80% maior do que o da Terra, esse planeta é um dos mais rochosos do universo. Com a temperatura de infernais 2500 graus, graças à sua órbita próxima da estrela, sua superfície é composta de lava líquida e por causa disso ele é talvez um dos únicos planetas que consegue gerar manchas estelares. Acredita-se que pode chover pedra por lá.


O pequenininho - Kepler-10b fica a 564 anos-luz. É apenas 1,4x maior do que a Terra, mas também o menor planeta fora do nosso sistema solar. Basicamente é composto de rochas. Quando sua órbita o traz para perto da sua estrela, ele forma uma cauda de cometa. Infelizmente ele é quente demais para a vida, sendo que sua temperatura seria capaz de derreter ferro, mas pode dar pistas sobre fenômenos que acontecem com Mercúrio.


O vizinho - HD 22049 b fica a 10,5 anos-luz, na constelação de Eridanus. Também é conhecido como AEgir e Epsilon Eridani-b. É o planeta mais próximo da Terra, tanto que nossos telescópios conseguem vê-lo sem problemas. Com uma órbita bem longe de sua estrela, ele não é um candidato para a vida e também provavelmente não tem água líquida.


O congelado - OGLE-2005-BLG-390Lb fica a 21,5mil anos-luz. Chega a ter 5,5x mais massa do que a Terra e provavelmente é composto de rochas. Orbita uma estrela anã vermelha e fica tão distante dela que sua superfície pode chegar a -220 graus, dando-lhe o título de planeta mais frio do universo.


O inclinado - XO-3b fica a 568 anos-luz. Tem raio 1,2x maior do que o de Júpiter e o intenso calor produzido por sua estrela torna a superfície desse planeta em um vermelho quente. Acredita-se que este planeta tenha uma inclinação de até 37 graus em relação ao equador de sua estrela, o que o torna o planeta mais inclinado do universo (geralmente os planetas se inclinam a 70 graus). O único que tinha tanta inclinação era Plutão, mas o pobrezinho foi rebaixado a "planeta anão" e não pode mais competir nesse quesito.

No pequeno quadro na parte superior é possível ver uma órbita típica dos planetas. No quadro azul você pode ver a bizarra órbita do XO-3b.

O ligeirinho - SWEEPS-10 fica a 22mil anos-luz. Esse planeta fica tão próximo de sua estrela que 1 ano lá dura 10 horas terrestres. Isso também lhe dá o título de planeta mais rápido. Nem preciso mencionar que ele é super quente né?


O peso pesado - COROT-exo-3b fica a 2200 anos-luz. Apesar de ter o tamanho de Júpiter, chega a ter 20x mais massa, o que significa que ele é 2x mais denso do que o chumbo. Há ainda a suspeita de que ele sequer seja um planeta, mas sim uma estrela que não deu muito certo também conhecida como “anã-marrom” (essas estrelas não conseguem fazer a fusão e portanto brilham muito pouco).


O esquecido - CFBDSIR2149 fica a 130 anos-luz. Tem uma massa que chega a ser de 4 a 7x maior do que a de Júpiter. O planeta em si não tem nada demais, entretanto um fato curioso o pôs nesta lista: é um planeta que aparentemente não pertence a nenhum sistema solar, também conhecido como “planeta-órfão”. Ele está simplesmente vagando pelo universo e não orbita nenhuma estrela, aliás, alguns até acham que ele possa ser uma anã-marrom. Fica na região conhecida como "Associação Estelar de AB Doradus". Como e por que ele foi parar ali é outro mistério. Ele não é o único planeta-órfão, mas é o mais próximo daqui.


O inimaginável - HD 189733b fica a 63 anos-luz. Odeia as tempestades aqui da Terra? Certamente você não iria gostar das tempestades desse planeta, já que chove vidro constantemente. Isso mesmo, vidro! A atmosfera é formada de silicato, o que lhe dá uma aparência e um brilho azul incrivelmente lindo, porém esse mesmo material vira vidro quando é submetido a altíssimas temperaturas. É exatamente isso o que acontece nesse planeta: o silicato sofre com altas temperaturas, vira vidro e cai na superfície. E já não bastasse chover vidro, ainda tem constantes furacões com ventos de mais de 6mil km/h! Já imaginou encarar um furacão de vidro?


O irmão - Kepler 438-b fica a 470 anos-luz. Descoberto em 2015, este planeta se tornou o queridinho dos astrônomos simplesmente por ser o "irmão gêmeo" da Terra. Numa escala de 0 a 1, onde 0 é classificado como "inabitável" e 1 é classificado como "igual à Terra", esse planeta tirou a nota 0,88! Ele tem uma boa superfície rochosa, parecida com as nossas superfícies aqui, e também tem água líquida. Além do mais, este planeta parece estar na zona habitável, ou seja, não está afastado demais e nem próximo demais da sua estrela, o que significa que a temperatura nele é bem semelhante à daqui e propicia a vida. Cientistas agora o monitoram constantemente e querem descobrir se já tem vida por lá. Ele também é o planeta mais cotado para a colonização e exploração espacial, já que nós aparentemente poderíamos viver muito bem por lá.


O deslumbrante - HD 69830 c fica a 41 anos-luz. O que faz este planeta excepcional é o simples fato de que o céu noturno dele deve ser uma das coisas mais espetaculares que poderíamos ver neste universo! Há um feixe eterno de luz no céu, como um grande cometa que nunca vai embora. O fato de ter um cinturão de asteroides até 10x mais próximo do que o nosso cinturão e 20x mais massivo também possibilita que o céu seja mais iluminado e que seja possível ver constantes chuvas de meteoros. Certamente esse planeta se tornaria um dos mais procurados para o turismo num futuro próximo.

Na primeira imagem há uma simulação de como seria o céu noturno em HD 69830 c. Na segunda imagem é o céu noturno daqui da Terra, um velho conhecido nosso.

O baladeiro - PSR B1257 + 12 b fica a 980 anos-luz, na constelação de Virgem. Todo planeta orbita uma estrela, certo? Errado! Este aqui, que chega a ser até 4x maior que a Terra, orbita uma pulsar que são estrelas de nêutrons menores, mas mais densas e poderosas, provavelmente formada de restos de uma estrela que já entrou em colapso. É basicamente uma estrela em fase terminal, prestes a virar um buraco negro ou coisa pior e por fim explodir em uma super nova. Depois disso é só velório (e uma fotografia colorida espetacular que os satélites tiram e a gente fica de boca aberta). No caso deste planeta, ele orbita uma pulsar violenta que emite luzes intermitentes de forma que andar na superfície dele seria como estar numa rave com luzes diversas (como nessa simulação). Por outro lado a radiação seria tão violenta que não seria uma boa ideia sequer ir pra lá, já que não sobreviveríamos. Bom, na verdade o PSR B1257 + 12 b é também um planeta condenado porque provavelmente a pulsar vai suga-lo em breve. Imaginava-se que planetas pudessem orbitar pulsares, mas só depois da descoberta deste planeta é que essa teoria ficou provada.


A patricinha - GJ 504b fica a 57,3 anos-luz, na constelação de Virgem. Este planeta tem uma cor bastante interessante: ele é de um rosa bem forte. Certamente agradaria as “patricinhas” de plantão. Chega a ter quase o mesmo tamanho de Júpiter, mas está mais distante de sua estrela do que Netuno está do sol. O sistema solar onde está localizado é um dos mais jovens conhecidos e isso explicaria em parte o porquê do GJ 504b ter a cor rosada. Sistemas solares jovens ainda não tiveram tempo de perder seu calor e então tem muito brilho infravermelho.


Acha que esquecemos de incluir algum planeta na lista? Conhece outro planeta bizarro também? Conta pra gente nos comentários!

Veja mais:
Parte 1
Fatos e coisas interessantes encontradas no universo 1
Fatos e coisas interessantes encontradas no universo 2

Nenhum comentário:

Postar um comentário