quarta-feira, 7 de setembro de 2016

POR TRÁS DOS QUADRINHOS: WATCHMEN, A VERDADE! parte 1


Quando Watchmen de Alan Moore foi publicado em 1986, tornou-se um fenômeno mundial. Sua caracterização dos personagens lhe renderam elogios do público e o reconhecimento de críticos.
Desde aquela época muitos produtores, escritores e empresas de cinema tentaram lançar uma versão cinematográfica de Watchmen já que os produtores de filmes Lawrence Gordon e Joel Silver adquiriram os direitos para a 20th Century Fox, em 1986. No entanto, a Fox deixou o projeto de lado e ele foi transferido para a Warner Bros, mas eles também não conseguiram produzi-lo devido a diferenças criativas e problemas orçamentais. Finalmente, a Paramount Pictures assumiu o projeto em julho de 2004, com Zack Snyder tomando o leme como diretor. O filme foi finalmente lançado no em 6 de março de 2009.
Agora, porém irei explanar um pouco sobre os super-heróis “criados” por Alan Moore.
Sendo estes: Comediante, Rorschach, Coruja, Espectral, Dr. Manhattan, e Ozymandias, parecem personagens extremamente originais, não é mesmo?
Mas, na verdade eles todos são baseados em personagens da Charlton Comics, uma empresa de fama negativa que publicava quadrinhos sem prioridade, pagava mal seus funcionários e produzia um material sem nenhuma qualidade. Porém, nos anos 80 ela vendeu seus personagens para a DC Comics. Alan Moore então teria apresentado uma história usando personagens da Charlton Comics intitulado: “Quem Matou o Pacificador? A proposta foi negada, mas supõe-se que Moore imaginou que se criasse personagens genéricos o suficiente para lembrar os verdadeiros heróis conseguiria reproduzir o mesmo sentimento. Deste modo criou os personagens de Watchmen, agora famosos, a partir dos seguintes personagens: Besouro Azul (O Coruja), O Pacificador (O Comediante), O Questão (Rorschach), Capitão Átomo (Dr. manhattan), Sombra da Noite, Lady Fantasma e Canário Negro (Espectral) e Thunderbolt (Ozymandias).

Nenhum comentário:

Postar um comentário