Batman: Arkham Nightmare - Parte 4 - OZYMANDIAS_REALISTA

Breaking

Ano IV! Quadrinhos, cinema, opinião, downloads, xadrez e mais 200 coisas.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Batman: Arkham Nightmare - Parte 4


Essa será provavelmente a penúltima parte. Robin e Asa Noturna tiveram que sem o Batman lidar com a grande quantidade de criminosos que haviam se unido para colocar um grande plano em ação. Pelo o que o Espantalho falou ao Asa Noturna, eles não serão o suficiente para impedi-lo. Enquanto isso Azrael se livra de criminosos e policiais que tentam impedi-lo com grande violência, deixando toda a população amedrontada com a sua falta de limites.


Bruce Wayne está em uma localização desconhecida pelo próprio, e acordando em uma sala escura e sinistra, ele se levanta para dar sequência a sua jornada. Bruce Wayne está vestido com trapos e caminha até uma porta com um símbolo da cruz vermelho e brilhante. Ele abre a porta e parece estar em uma grande Igreja, mas não há exatamente símbolos cristãos, é tudo peculiar. Tem uma grande quantidade de monges com a cabeça baixa, Bruce anda pelo corredor do meio até o que está na frente, com ar de líder. Ele diz

"Bruce Wayne, mas conhecido como... o Batman."
"Quem são vocês? Onde estou?"
"Sinta-se bem vindo à base de operações da Ordem de São Dumas."
"Vocês... vocês enviaram Azrael? Vocês planejaram a minha derrota?"
"Nós? Nós não detetive. Apenas sabíamos que isso iria acontecer, na verdade, te salvamos do que viria."
"Eu não preciso de salvação. Por que me trouxeram aqui?"
"Não haja de forma tão defensiva, Batman, apesar de compreendermos que é da sua natureza. Mas como já lhe disse, não somos seus inimigos. Na verdade, você poderia nos considerar... grandes admiradores."
"Por isso me capturaram?"
"Nós lhe salvamos, caso contrário você arderia nas chamas."
"Espero que não se importe de não receber agradecimentos por isso."
"Chega de conversa irrelevante. Você é o nosso hóspede aqui, ou seja como preferir chamar, vamos lhe apresentar aos seus aposentos."


Wayne não vê uma janela, um raio do Sol de onde está, não consegue usar as suas habilidades para supor onde se encontra. Apesar de tentar resistir, ele acaba caindo no sono no seu aposento. No outro dia é acordado e o mandam para uma sala para um "aquecimento". Neste local é obrigado a enfrentar ninjas, não demora para ele derrota-los e perguntar "É pra isso que me trouxeram aqui? Para me assistir lutar?" "Você passou por tempos difíceis Cavaleiro das Trevas, e precisaremos de você em forma."

Após alguns rounds, é entregue ao Batman a sua armadura, que havia tido os seus danos remendados. Há alguns combates um pouco mais difíceis, outros contra inimigos armados, até que Batman finalmente tem a oportunidade de falar com o líder novamente, esse está sentado em posição de perna de índio. Ele convida o Batman a se sentar mas esse rejeita mantendo a sua postura defensiva.

O homem explica que a Ordem de São Dumas valoriza a luta contra o crime e tem como objetivo criar o combatente perfeito. Batman já diz "Azrael"
"Sim"
"E ele foi enviado para me substituir?"
"Não exatamente, Batman. Entenda porque não queremos que você veja isso como uma ofensa."
"Prossiga, e por favor, seja direto."
"Não se preocupe, isso é uma fan-fic e ninguém quer passar o dia todo a lendo. Como eu disse, somos admiradores da sua luta contra o crime. A sua contribuição é inegável. O problema é que você conhece bem as mentes que inspirou, mentes perigosas se sentiram tentadas a desafia-lo."
"Isso nunca foi um problema, eu sempre os impedi."
"É claro que não! Esse é o ponto que nós corrigimos!"
"Como assim corrigiram?"
"Você é bom Cavaleiro das Trevas, muito bom, mas não é perfeito. Criminosos como Coringa, Charada e Duas-Caras zombam das suas tentativas de coloca-los na cadeia."


"E o que você sugere que eu faça? Mate-os?"
"Sim Batman. Tenho certeza que você já ouviu isso antes. Mas a alternativa é matá-los."
"Não."
"Previsível."
"Eu não mato, se você mata, se torna tão ruim quanto o criminoso. Não é algo que você possa simplesmente fazer e desfazer, o mal tanto quanto o bem, é contagioso."
"Aí é que está Batman, você pode estar no topo de suas habilidades, mas ainda assim, você é humano."
"E o que é Azrael?"
"Amanhã entramos exatamente nesse tópico. Lembre-se Batman, não somos seus inimigos. Agora vá descansar, amanhã o seu aquecimento continua."


A câmera está em primeira pessoa olhando para baixo. O chão é seco e velho, conforme você mexe o analógico e anda sem mudar a câmera, até que pode ver uma capa amarela sobre alguém no chão. Eis que aparece para apertar o botão de ataque. Um golpe de pé-de-cabra é desferido contra o corpo no chão. Então tem que apertar mais uma vez, e mais uma, e mais uma, você está matando o Robin, até que larga o pé-de-cabra e só vê o sangue escorrendo para o lado.


Batman levanta para mais um dia sob custódia da Ordem de São Dumas. O treino é em um lugar mais aberto apesar de ainda ser dentro do esconderijo deles. Quando pergunta onde estão localizados, o monge que o observava diz que é uma base escondida no Alaska. O aparente líder da organização aparece e oferece a Batman a oportunidade de descansar enquanto adquire um pouco mais de "conhecimento". Eles então levam Batman para locais que ele ainda não havia visitado, com uma aparência muito menos modesta, parecendo um laboratório extremamente moderno e tecnológico. Lá lhe é explicado quem é Jean-Paul Valley, um homem criado como bebê de proveta, com a sua genética alterada, inclusive combinada com a de alguns animais e que sofreu um intenso processo de lavagem cerebral. Ele foi criado para ser o vigilante perfeito e livrar o mundo de todo o crime. Gotham será o seu último desafio sob o manto do justiceiro Azrael.


Também é explicado para Batman sobre os equipamentos avançados de Azrael, e como a sua armadura pode matá-lo estando completamente ligada ao seu corpo e ao seu sistema sanguíneo. Batman então pergunta quando eles permitirão que ele volte para a sua cidade. O monge responde mais uma vez que não são inimigos dele e que ele não é um prisioneiro, mas ainda pretendem aprender mais com ele, pois como já disseram, estudam a luta contra o crime. Eles pretendem expandir o projeto de Azrael para além de Gotham. Batman volta para os seus treinos de furtividade. Uma voz diz como ele sabe ser furtivo e que realmente precisa desaparecer diante dos próximos inimigos. Batman pensa como ele não pretende ficar lá e tapeando-os, ele desaparece não só dos inimigos, mas dos que o observavam também. Enquanto escapa Batman começa a ouvir eles desconfiando de que ele já sumiu por tempo demais e já deveria ter contra-atacado.


Ele começa a passar pelos lugares onde esteve, mas dessa vez nocauteia os monges (o que não era possível antes). Ele acha um arsenal e pega uma metralhadora (que deixa presa nas costas), uns shurikens, explosivos e outras coisas parecidas, não consegue encontrar muito de seu equipamento original, mas improvisa. Ele consegue bloquear a sala do computador por um tempo e lá faz um download do mapa do local para a sua armadura. Hora de cair fora. É um longo caminho, uma fortaleza inteira, mas Batman viu que eles tem um estacionamento com um jato, é a melhor forma de voltar para Gotham. Adentrando na área do laboratório, Batman nota um local em especial e já tendo consciência da falta de limites da Ordem de São Dumas, acha melhor conferir qual é o novo plano deles após terem criado Azrael e o capturado. Entrando lá, ele vê algo que nunca esperaria, de tudo que a sua mente podia imaginar. E pensar que já tinha muitos problemas.


Tô ligado que eu sou longe de ser o rei das montagens, bicho. Mas vamos lá, caso você não tenha morrido de rir faça que nem eu, esforce a sua criatividaaaade, veja o Coringa sem a caveira, a bengala e em estado de... "sono", que nem o Tyrant do Resident Evil 1, hehe. Continuando, Batman entra em choque total e investiga os arquivos da sala para ter certeza que se trata do seu velho inimigo. E então ele conclui "É mesmo o Coringa... eles o ressuscitaram!". Batman sabe que não pode libera-lo, mas os seus planos contra a Ordem de São Dumas não são muito bons e nos arquivos também citava de "Mandar o velho inimigo que o Batman jamais conseguiu derrotar, o super terrorista Coringa como desafio supremo do vigilante supremo, Azrael." Então eles o liberariam de qualquer forma. Mas Batman sabe que o Coringa não é como um criminoso qualquer, ele é imprevisível como nenhum outro ser na face da Terra, seria melhor que ele estivesse sob a custódia dele mesmo, então... Batman o liberta.


"Batman...?! E pensar que eu nunca mais te veria!"
"Não estou com tanta sorte assim."
"Aaaaaaaaaaaaw me dá um abraço aqui Batsy!!!!!!!!"
"Ugh... calado."
"Huhuhuh, o mesmo de sempre am Batman? Sentiu a minha falta durante a minha morte?"
"Não, mas não há tempo para conversa. De alguma forma a Ordem de São Dumas se apoderou do seu cadáver e te trouxe de volta, eles me capturaram também, mas agora temos que sair daqui."
"Ah claro. E você vai me levar com você?"
"Não fale muito sobre isso antes que eu acabe mudando de ideia."
"Ok então, já que você tem medo de andar sozinho... abaixe a cabeça..."


Enquanto você controla o Batman o Coringa vai te seguindo, mas é claro que não demora para aparecer inimigos após ele ter sido tirado do seu "tubo de descanso", o seu irônico objetivo é defender o Coringa. Uma hora aparece muitos inimigos e ele some, é aí que de repente um inimigo cai sozinho no chão e o Coringa reaparece com uma grande pistola e diz "Já achei os meus brinquedos, agora ME DEIXE BRINCAR!" então começa o co-op com Batman e o Coringa para fugir da base da Ordem de São Dumas. Em certo ponto o Batman fala para o Coringa "Espere!"
"O que foi?"
"Antes de irmos embora, preciso me livrar desse lugar."
"Uuuugh, não temos tempo a perder, você sempre quer ficar com essas brincadeirinhas, aposto que se fosse o Aquaman já estaríamos fora daqui há tempos."
"Cale a boca, pelo amor de Deus... eu provavelmente... precisarei da sua ajuda. Temos que explodir esse local todo..."
"WEEEEEEEEEEHA! AGORA EU SENTI FIRMEZA! BATE AQUI!"
"Não."
"Hahahahahahaa."
"Escute..."
"Não Batman, eu já entendi tudinho, vá arranjar um jeito desses palhaços fugirem em segurança enquanto EU cuido de tudo."


Controlando Batman e Coringa em pontos diferentes você então teria que instalar explosivos pela fortaleza enquanto ia se livrando dos inimigos. Batman abre o portão principal para que eles possam escapar, então antes de sair ele tira a metralhadora e fuzila os explosivos plásticos. Enquanto foge Batman pode ouvir o líder se comunicando por televisores e afins "Você está cometendo um erro, Batman. Um erro enorme! Eu avisei que não éramos seus inimigos, você não pode deter Azrael! Você não pode deter a Ordem de São Dumas! O que fará? Levando o seu pior inimigo de volta a sua cidade? Para começar tudo de novo, aquele ciclo infinito?!" Batman responde quando tem a oportunidade que "Uma organização opressora com planos de domínio mundial e projetos de modificação genética e lavagem cerebral é sim minha inimiga. Espero que nossos caminhos não se cruzem novamente. Por que se isso acontecer, eu não darei tantas chances para vocês novamente."


 Então ele se reencontra com o Coringa e os dois vão correndo na direção do jato, Coringa vai dizendo (quieto ele não pode ficar) coisas como "Não acredito que sou o seu novo parceiro, como Robin! Nem pense em me forçar a usar aquelas roupinhas." Os dois entram no jato e então o Batman toma voa enquanto a fortaleza é destruída.

"Então Batman, para onde estamos indo?"
"Vamos voltar para Gotham."
"Aaaaaaah, nada como voltar para casa, reencontrar mamãe, papai, filhinhos! E você Bats, vai voltar para quem? Huahehehehehahaha. Se importa de eu ficar falando sem parar e ficar perguntando se já estamos chegando o tempo todo? Imagino que não. Faz tanto tempo que não nos vemos, eu tenho um monte para falar, tenho uma piada sobre uma velhinha sem pernas que..."
POU, Batman o nocauteia para calar a boca.


Chegando em Gotham, Batman estaciona o jato e sai sozinho de lá de dentro. Ele se conecta com Alfred.

"Mestre Bruce? Que alívio! Aonde o senhor estava? Onde está agora?"
"Eu estou bem, Alfred. Quando estive desacordado fui capturado pela Ordem de São Dumas, responsável pelo nosso misterioso amigo Azrael. E adivinhe, eu tenho que impedi-lo."
"Com certeza senhor. Esse homem misterioso tomou domínio de Gotham, instaurou medo nas pessoas e até na polícia para impedir o crime. E o pior, ele não conseguiu impedir o Espantalho de pôr o seu plano em ação."
"Como assim? O que ele fez?"
"Os tanques de gás realmente foram ativados, mas não era gás do medo, mas sim um outro elemento que ele desenvolveu que lentamente influencia as pessoas a ampliarem as suas fobias, vícios, taras, os resultados já foram claros, mas a sociedade não tem ciência da causa."
"Eu vou para-lo."
"Espero que sim, sr. Bruce. Azrael causa tanto medo que o próprio Rei do Medo não teve coragem de encara-lo."
"Alfred, por favor, se há um rei do medo em Gotham, esse serei eu."
"Vai começar a se bajular patrão Bruce? Isso é tudo?"
"Bem que eu gostaria, mas não... tem algo mais."
"O que seria patrão Bruce?"
"O Coringa estava sob custódia da Ordem de São Dumas."
"O quê? O cadáver?"
"Não... Alfred, eles o ressuscitaram."
"Você tem certeza?"
"Absoluta, eu o trouxe comigo."
"Oh meu Deus mestre Bruce! E pensar que tínhamos nos livrado dele!"
"Eu já contava que um dia pudessem fazer isso, mas mesmo assim admito que fui pego de surpresa. A Ordem planejava enviá-lo como desafio definitivo ao Azrael, que por dentro é uma pessoa geneticamente modificada para ser um vigilante perfeito. Eu deixei o palhaço preso dentro do jato, depois volto para buscá-lo."
"Deus do céu. Boa sorte mestre Bruce. Avisarei os outros da sua presença."


Termina na Parte 5.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog