Mega Post - Homem de Ferro (Marvel NOW) - OZYMANDIAS_REALISTA...

Breaking

Ano IV! Quadrinhos, cinema, opinião, downloads, xadrez e mais 200 coisas.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Mega Post - Homem de Ferro (Marvel NOW)


Li Homem de Ferro #1-5, do encadernado Iron Man: Believe, com roteiro de Kieron Gillen e desenhos de Greg Land, e farei breves comentários sobre as edições.


Edição #1: O vírus modificador de DNA Extremis foi vendido no mercado negro. Seu criador, Maya Hansen, foi assassinada por aqueles que queriam o lucro para si. Tony Stark prometeu caçar todas as versões existentes. Ele desenvolveu uma nova armadura que se adapta à diferentes ameaças.

Edição #2: O tecnovírus Extremis foi leiloada no mercado negro e comprado por 4 pessoas diferentes. A primeira, Meredith e seus cavaleiros, numa ilha isolada perto da Latvéria, foi o primeiro dos desafios, mas Stark conseguiu destruir essa versão do vírus.

Edição #3: A segunda parada foi na Colômbia na mansão de Juan Valencia, famoso traficante. Ele adquiriu o Extremis como última esperança de salvar a vida de usa filha Juliana de um câncer mortal.

Edição #4: Continuando sua caçada pelos kits Extremis pelo mercado negro, Tony foi até as Catacumbas de Paris. Lá ele encontrou um culto usando a tecnologia para criar receptáculos humanos para um deus sombrio. Mesmo derrotando esse pequeno exército zumbi, o Homem de Ferro foi lembrado do potencial mortal da Extremis em reescrever DNA.

Edição #5: Ainda há mais um sinal Extremis para rastrear e ela está em órbita da Terra, nas mãos de um de seus antigos amigos cientistas com sonhos de grandeza. O novo traje do Homem de Ferro se provou um sucesso, se modificando d acordo com a necessidade e com diferentes ameaças. Com um traje ainda mais novo, uma nova IA e um desejo de expandir seus horizontes, Tony se aventura nas profundezas do espaço.




Esse primeiro arco não apresentou nada demais, apesar da novidade tecnológica de sua nova armadura adaptável e a busca pelo Extremis em vários cantos do mundo. Nada muito aprofundado nos personagens e até mesmo nas cenas de ação achei que poderia ter sido melhor. Leitura insatisfatória.

Li Homem de Ferro #6-11, do encadernado Iron Man: The Secret Origin of Tony Stark Book 1, com roteiro de Kieron Gillen e desenhos de Greg Land e Dale Eaglesham, e farei breves comentários sobre as edições.


Edição #6: O Homem de Ferro agora se aventura pelo espaço sideral e passa seu aniversário no planeta Voldi. Lá, se depara com a acusação de assassinar o Deus dos Voldi – a Força Fênix!

Edição #7: Aguardando julgamento, Tony recebe “conselhos jurídicos” de 451, um Registrador renegado de Rigel. Tony exige seu julgamento por combate a fim de ganhar tempo para que 451 recupere sua armadura do Homem de Ferro.

Edição #8: Tony está enfrentando seu último e mais forte adversário, o Devastador na arena dos Voldi, enquanto 451 busca por sua armadura e por outro artefato poderoso. Uma reviravolta nos acontecimentos muda os planos do Homem de Ferro.

Edição #9: Determinado a levar o Registrador 451 à justiça por seus crimes contra os Voldi, Tony contrata o mercenário Devastador, seu antigo adversário anterior, em uma caçada pelos confins do espaço. Mas, ao encontrar 451, acaba tendo uma revelação surpreendente.

Edição #10: Anos atrás, quando Maria Stark estava grávida, mas com o bebê correndo risco de vida, Howard Stark fez de tudo para descobrir uma maneira de salvar a vida dele. Essa busca o levou a libertar um robô capturado por uma família alienígena criminosa. Na verdade, esse robô era o Registrador 451. Assim, Tony descobre que os caminhos de seu pai Howard também se cruzaram com o de 451 no passado.

Edição #11: Depois de ser libertado, 451 afirmou que podia salvar a vida do filho de Howard e Maria que estava para nascer, mas com a condição de ser modificado geneticamente, tendo como único objetivo ajudar o planeta Terra a evoluir tecnologicamente para sua própria proteção. Sem outra opção, os Stark aceitam o delicado acordo.

Este volume começa com um breve arco de três edições com muita ação e bom humor e introduz um personagem importante para a trama seguinte, onde o escritor Kieron Gillen surpreende ao alterar o passado de Tony Stark. Sair da zona de conforto com mudanças radicais sempre é bem-vindo, caso seja bem explicado e desenvolvido e dê oportunidades para o personagem evoluir também. Por enquanto, a história sobre a origem de Tony se mostra bem interessante. Leitura recomendada.



Li Homem de Ferro #12-17, do encadernado Iron Man: The Secret Origin of Tony Stark Book 2, com roteiro de Kieron Gillen e desenhos de Dale Eaglesham, Greg Land e Carlos Pagulayan, e farei breves comentários sobre as edições.

Edição #12: A última etapa antes do nascimento de Tony foi afastar de vez a ameaça alienígena que estava atrás de 451. Agora, 451 retornou para revelar toda a verdade por trás do aprimoramento genético em Tony Stark e seu verdadeiro propósito.

Edição #13: 451 mostra o derradeiro objetivo da existência de Tony Stark planejado pelo registrador antes mesmo de seu nascimento – pilotar uma máquina de guerra gigantesca, o Matador de Deuses e se tornar a arma protetora definitiva da Terra, mas seus planos podem ser frustrados pelo Devastador.

Edição #14: Controlado por 451, o Devastador vai no encalço de Tony, forçando um confronto contra sua vontade. O registrador permite a destruição de outro planeta para obrigar Tony a fazer a sua vontade. E como se não bastasse, guia o Matador de Deuses até seu próximo alvo – a Terra.

Edição #15: O Matador de Deuses se dirige à Terra e Tony Stark descobre que não pode pilotar a armadura gigante. O plano de 451 foi mal calculado e agora pode ser tarde demais. Arrependido, o registrador apaga sua própria base de dados deixando o Homem de Ferro à deriva.

Edição #16: Depois de parar 451 e o Matador de Deuses, Tony retorna à Terra. Mas, antes de retornar à seus negócios, ainda havia assuntos inacabados envolvendo seus pais, Howard e Maria e Tony não tem como deixar para o dia seguinte.

Edição #17: Antes de retornar à Terra, o Homem de Ferro trouxe o que sobrou de 451 juntamente com várias gravações e dados. E então, começou a investigar mais a fundo seu passado, o que o levou a encontrar informações que nem mesmo 451 sabia.

A origem secreta de Tony Stark é revelada em sua plenitude na edição #17, porém, como um todo, esse volume deixou a desejar depois de um início promissor no volume anterior. Leitura razoável.

Li Homem de Ferro #18-22, do encadernado Iron Man: Metropolitan, com roteiro de Kieron Gillen e desenhos de Joe Bennett, e farei breves comentários sobre as edições.



Edição #18: Depois de descobrir sobre sua adoção e de seu irmão Arno Stark, Tony começa a dar seu próximo passo. Ao lado de Arno, Tony acredita que a superpopulação levará a humanidade à extinção e trabalham em uma forma de impedir isso, através dos dados acumulados em 451.

Edição #19: O Mandarim está morto há mais de um ano, mas um de seus anéis escolheu a jornalista Abigail Burns para ser sua hospedeira. Tony e Arno continuam a executar seus planos de salvar a humanidade construindo cidades especiais. A primeira delas é justamente a Cidade do mandarim, abandonada após a morte de seu soberano.

Edição #20: A hospedeira do sétimo anel do mandarim, Abigail Burns, vulgo Perigo Vermelho atacou o Homem de Ferro durante a apresentação da Cidade do Mandarim recriada pelos irmãos Stark. O Homem de Ferro e Máquina de Combate vão até a SHIELD verificar os anéis do mandarim guardados e são pegos de surpresa.

Edição #20 (Inumanidade): Ligação com o arco Inumanidade. Depois de fazer uma longa busca, o quinto anel do Mandarim escolhe Victor Khol, que, além de sentir o poder do anel, descobriu recentemente ser um inumano.

Edição #21: Dois meses após a reconstrução e inauguração da Cidade do Mandarim, o Homem de Ferro vem tendo trabalho em protegê-la dos ataques terroristas perpetrados pelos portadores dos anéis do Mandarim. Porém, pode ter encontrado uma aliada surpresa.

Edição #22: A batalha final do Homem de Ferro contra os portadores dos anéis do Mandarim acaba de forma abrupta. Um ser misterioso começa a caçar os hospedeiros e roubar os anéis.




Arco que mostra os planos de Tony Stark e seu irmão Arno em busca de uma cidade perfeita para garantir a sobrevivência da humanidade. Para uma história chamada Metrópole de Ferro, a cidade foi muito mal desenvolvida, e o escritor Kieron Gillen preferiu destacar mais o confronto ideológico entre Abigail e Tony, embora isso também não tenha sido convincente. Leitura insatisfatória.

Li Homem de Ferro #23-28, do encadernado Iron Man: Rings of the Mandarin, com roteiro de Kieron Gillen e desenhos de Luke Ross e Joe Bennet, e farei breves comentários sobre as edições.



Edição #23: Enquanto o Homem de Ferro enfrentava o Maestro Relâmpago, mais um dos portadores do anel do Mandarim, Malekith surge e rouba seu terceiro anel. Tony conta com a ajuda da Anjo Negro para localizar o Amaldiçoado.

Edição #24: O Homem de Ferro consegue se transportar até o palácio de Malekith em Svartalfheim. É facilmente derrotado e foge para ganhar tempo. Malekith supre três de seus guerreiros Elfos Negros com os anéis e os envia atrás do Homem de Ferro.

Edição #25: Em uma última e desesperada tentativa, o Homem de Ferro consegue recuperar três anéis, mas ainda resta um. Porém, fazer isso, pode ter custado o caminho de volta à Terra. E os demais anéis estão insatisfeitos com Malekith.

Edição #26: Os demais portadores dos Anéis do Mandarim vão até Svartalfheim atrás do anel que está em posse de Malekith. O Homem de Ferro corre atrás do anel que está com o próprio Amaldiçoado, mas tem uma surpresa.

Edição #27: Tony e seu irmão Arno estão pensando em derrubar ao Anéis do Mandarim usando sua própria tecnologia contra eles. Mas, para isso, eles percisam localizar a base dos anéis, sua fonte de energia.

Edição #28: Com a ajuda de Abigail Burns e Arno, o Homem de Ferro invade os subterrâneos onde vive o Homem-Toupeira para a batalha final, e descobre toda a verdade sobre a manipulação dos anéis do Mandarim.

Último arco da fase do escritor Kieron Gillen que encerrou de um modo parecido como começou. Uma ideia interessante, mas mal executada com interações superficiais e resoluções decepcionantes. Pelo menos, ele conseguiu ser coerente com o que construiu, e deixou o título com novos personagens coadjuvantes no universo do Homem de Ferro. Leitura razoável.

Por Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog