Maratona Novos 52 - Universo Edge Parte 3 - OZYMANDIAS_REALISTA...

Breaking

Ano IV! Quadrinhos, cinema, opinião, downloads, xadrez e mais 200 coisas.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Maratona Novos 52 - Universo Edge Parte 3



Guia com todas as postagens anteriores da maratona:

https://ozymandiasrealista.blogspot.com.br/search/label/Maratona%20Novos%2052



Li Stormwatch #13-18 e 0, do encadernado Stormwatch: Betrayal, com roteiro de Peter Milligan e desenhos de Will Conrad e Cliff Richards, e farei breves comentários sobre as edições.

Edição #0: Princesa Janeen; Condessa Jeannie, Irmã J; Jenny Freedom; Jenny Sparks. Todos Bebês do Século que passaram pelos Cavaleiros do Demônio até se tornarem a força tarefa Stormwatch. A atual Jenny Quantum precisa saber dessa história para evitar que a profecia sobre o fim do Stormwatch se concretize em seus dias.

Edição #13: Um bairro de Londres que esconde um mistério sombrio, cuja vizinhança é marcada por sangue e violência. Meia-Noite e Apolo chegam para investigar e chegar ao fundo desse segredo macabro.

Edição #14: Finalmente Apolo e Meia-Noite descobre o segredo por trás do Edifício Malory. O demônio Etrigan desperta novamente. Com Meia-Noite fora de ação, Apolo é a última linha de defesa entre o Demônio e a cidade que ele quer destruir.

Edição #15: Harry Tanner consegue se infiltrar disfarçado na Divisão das Sombras e convencer o Stormwatch a eliminar todos os demais super seres, começando pelo Superman. O grupo descobre a localização da Projecionista.

Edição #16: Um plano arquiteto pelo Espadachin coloca Meia-Noite como suspeito de trair o Stormwatch. Perseguido por Apolo, Meia-Noite é capturado e agora está à mercê do julgamento de Tanner.

Edição #17: Harry Tanner é desmascarado por Jenny Quantum. Enquanto se prepara para enfrentar seus ex-companheiros, acontece uma reviravolta por parte da Engenheira. Com Jenny Quantum fora de combate e Jack Hawksmoor e a Projecionista enviados para o Brasil, Meia-Noite e Apolo precisam de suas habilidades para sobreviver.

Edição #18: A Engenheira reativa OMAC para ir atrás de Apolo e Meia-Noite, que estão em Moscou, onde a dupla reencontrou Devota. É o ataque final contra o que restou do Stormwatch.



O escritor Peter Milligan fecha as pontas soltas desde as primeiras histórias do Stormwatch, incluindo a traição de Harry Tanner. Aliás, “traição” foi o tema recorrente desse encadernado recheado de ação, mas com um final corrido, passando a ideia de ter sido precipitado. Leitura razoável.




Li Exterminador #9-20 e 0, do encadernado Deathstroke: Lobo Hunt, com roteiro de Rob Liefeld e Justin Jordan, e desenhos de Rob Liefeld e Edgar Salazar, e farei breves comentários sobre as edições.

Edição #9: Slade Wilson visita o tumulo de sua falecida esposa Adeline, quando é subitamente interrompido por uma força tarefa especial, os Ômegas. Seu líder, o Dir. Maxim, requer os serviços do Exterminador para capturar o último sobrevivente de Czárnia.

Edição #10: Lobo simplesmente quer destruir o planeta Terra inteiro. O Exterminador, ao lado de Devota e sua equipe de Ômegas correm contra o tempo para capturar o último czarniano e começam sua busca na prisão onde ele estava.

Edição #11: Exterminador e seu equipe encontram a nave Starpoint do Lobo com seu ocupante prestes a iniciar seus planos de eliminar todos os habitantes do planeta. Mesmo com uma armadura feita pelo Metal Enésimo, o Exterminador conseguirá parar o imbatível Lobo?

Edição #12: O grande confronto entre Exterminador e Lobo. E toda a verdade sobre a fuga do Maioral e a presença dos Ômegas é revelada.

Edição #0: A edição conta a história de como Slade Wilson, o melhor de sua tropa de operações secretas se tornou o Exterminador. Desde seu treinamento e sua paixão por sua capitã Adeline Kane. De um soldado em busca de um mundo melhor e mais seguro, a um mercenário frio e obcecado.




Edição #13: O Exterminador enfrenta Deadborn. O que ele não sabe é que seu adversário é mais do que um simples mercenário enviado para matá-lo, mas um reflexo do seu próprio passado vindo para agarrá-lo.

Edição #14: Slade Wilson fica sabendo que o Gavião Negro está nas proximidades e resolve abordá-lo para saber os mistérios de sua armadura que também foi forjada com Metal Enésimo, mas se vê no meio do arco Procura-se Gavião Negro.

Edição #15: Três anos atrás, o misterioso Koschei, que diz ser imortal, conquistou sozinho a Sarvênia, um pequeno país do Leste Europeu. O Exterminador é contratado para investigar um suposto depósito de lítio e matar o tirano.

Edição #16: Slade faz uma investida inicial para estudar seu adversário. Depois, descobre que seu contato, Elena não está sozinha, e várias células rebeldes estão espalhadas pelo país prontos para atacar Koschei.

Edição #17: O Exterminador descobre que sua cabeça está à prêmio. Ele viaja até o Japão e confronta o Clã Sukesada, que deseja se vingar do mercenário.

Edição #18: Um ato de traição por parte de Tomo Sukesada coloca o Exterminador em uma situação complicada. Mas a questão da honra se torna uma faca de dois gumes para o jovem ninja.

Edição #19: Slade descobre que sua viagem ao Japão foi planejado por John Lynch, antigo companheiro do Team 7, supostamente morto. Enfrentando a ameaça de Majestic, Lynch encontrou uma maneira de atrair o Exterminador até seu esconderijo.

Edição #20: Uma reunião de família que não acaba bem, causando danos fatais. Jericó consegue possuir a mente de Majestic e é praticamente imbatível. Agora, só resta uma opção para seu pai Slade e seus irmãos, Rose e Grant.

Quando o escritor Rob Liefeld assumiu o título, criou uma história sem sentido e que não acrescentou em nada à mitologia e cronologia do Exterminador, caçando o maioral Lobo. As histórias seguintes tratando de seu legado, pelo menos deram continuidade ao bom trabalho do antigo escritor Kyle Higgins, mas sem o mesmo brilho de seu antecessor. Mesmo com a troca pelo escritor Justin Jordan não ajudou a melhorar as tramas pouco desenvolvidas da série. No geral, leitura insatisfatória.


Li Esquadrão Suicida #14-19, do encadernado Suicide Squad: Death is for Suckers, com roteiro de Adam Glass e desenhos de Henrik Jonsson e Sandu Florea, e farei breves comentários sobre as edições.

Edição #14: Ligação com Morte da Família. No funeral de Floyd Lawton, o Coringa reaparece e envenena todos os presentes, incluindo Amanda Waller e Capitão Bumerangue. Para poupar a todos, o Palhaço do Crime leva Arlequina embora com um plano em mente.

Edição #15: Ligação com Morte da Família. Depois de realizar sua parte da missão, Arlequina retorna e é presa pelo Coringa. Dessa vez, é pra valer – Arlequina vs. Coringa, um confronto de amor, ódio e muita paranoia.




Edição #16: O Pistoleiro “acorda” e Amanda Waller lhe conta como foi resgatado pelo restante do Esquadrão Suicida enquanto enfrentavam Basilisco. Ele vai agradecer a Arlequina, que desconfia que os membros do Esquadrão estão sendo usados como cobaias em algum tipo de experimento.

Edição #17: O Esquadrão Suicida está pronto para a próxima missão. Ir até Chinatown, invadir o covil da gangue Chang, pegar uma encomenda e matar a líder da gangue, Chang Ming-Zu, a Orquídea Vermelha. O detalhe é que Ming-Zu é irmã de Iô-Iô.

Edição #18: Ao tentar pegar a “encomenda”, o Esquadrão Suicida descobre que a Orquídea Vermelha tem um aliado que deveria estar supostamente morto – Regulus. Além de descobrir que a encomenda se trata de Kurt Lance.

Edição #19: Uma explosão causada por Iô-Iô e Amanda Waller chega ao local ajudando no resgate de sua força-tarefa. Mas a missão de encontra seu antigo companheiro Kurt Lance ainda não acabou. Ela liberta os membros do Esquadrão e deixa que eles mesmos decidam seu destino.

O terceiro volume é basicamente dividido em dois arcos curtos. O primeiro destaca a Arlequina e seu envolvimento na história Morte da Família, em um confronto não apenas físico, mas psicológico com o Coringa. E o segundo arco acaba fechando algumas pontas soltas, mas deixa outras para o próximo. Muita ação e pouca inspiração. Leitura razoável.


Li Grandes Astros do Faroeste #13-16 e 0, do encadernado All-Star Western: The Black Diamond Probability, com roteiro de Justin Gray e Jimmy Palmiotti e desenhos de Moritat e Phil Winslade, e farei breves comentários sobre as edições.


Edição #0: Na noite do nascimento de seu filho, Jonah, Woodson Hex é ameaçado por capangas armados, mas defende sua família com unhas e dentes. Infelizmente, com o passar do tempo, a situação não permanece assim. A origem de Jonah Hex nos Novos 52.


Edição #13: Um “palhaço” psicótico assassina brutalmente dois sacerdotes. Visto que o Circo Haley está na cidade, Jonah Hex, Amadeus Arkham e Tallulah Black resolvem investigar o lugar.

Edição #14: A fórmula roubada de Jekyll parece estar afetando seus usuários. Jonah e Tallulah seguem uma pista que os leva até Chinatown. Dominada pelos Dragões Dourados. História ligada à Probabilidade do Diamante Negro.

Edição #15: Doutor Jekyll, ou melhor, Hyde obriga o Dr. Arkham a ingerir uma dose de sua fórmula pura contendo o Diamante Negro. Jonah Hex tenta sobreviver ao ataque de Hyde e ainda tem de salvar Arkham de sua loucura. História ligada à Probabilidade do Diamante Negro.

Edição #16: Gravemente ferido após o confronto com Hyde, Jonah passa um mês em recuperação na casa de Amadeus Arkham. Enquanto o psiquiatra é tratado depois de ter ingerido a fórmula de Jekyll, Hex finalmente conhece a mãe de Amadeus. História ligada à Probabilidade do Diamante Negro.

Breve arco mostrando Jonah Hex enfrentando Hyde, o alterego do Doutor Jekyll. Uma exercício de criatividade dos escritores Justin Gray e Jimmy Palmiotti. Somente a boa e velha selvageria de Hex poderia ajuda-lo nesse confronto brutal. Leitura satisfatória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog