Home Top Ad

Responsive Ads Here

52 semanas – Opinião...

Share:


[Texto da tag “Escritor Convidado”, escrito por FunkyReaper Cat, publicado originalmente em: 

 [NOTA DO OZY: Todos os scans da postagem vem 

dos grupo: Tropa DC


Em 2006, a DC Comics lançava 52 Semanas, uma mega saga que serviria como uma espécie de retcon, ou seja,ao invés de rebootar o universo DC inteiro, eles apenas iriam adicionar e modificar informações passadas no decorrer dos anos, na minha opinião uma ideia melhor do que Flashpoint, aonde a DC chamou Geoff Johns e Mark Waid para escrever a HQ, e o mestre Carmine Infantino para desenhar, este que trabalhou por anos com as HQs do Flash, que a propósito são as minhas favoritas da DC, e de início não parecia ser um trabalho promissor, mesmo com pessoas de renome na indústria participando,mas será que eles trouxeram algo inovador ou apenas um trabalho medíocre?
PS: Não leiam as palavras pequenas nas fotos que eu coloquei, tem spoilers.

Antes de tudo, isso vai ser basicamente uma sinopse, mas vou adicionar um pouco do meu pensamento e faz algum tempo que eu li, então é mais pra quem quiser ter uma ideia de como é e talvez se interessar.
A trama se inicia após os eventos de Crise Infinita, aonde a Trindade da Liga da Justiça ( Superman, Mulher Maravilha e Batman ) , os 3 heróis "mais poderosos" da Terra e os membros mais importantes da Liga da Justiça se aposentam, com a HQ mostrando 52 semanas ( 1 ano ) com a Liga da Justiça lidando com os problemas sem a ajuda da trindade, por muitos anos, um dos três saia do time, ou dois, mas ao menos um membro estava sempre lá para direcionar os heróis, e é ai que a HQ brilha, por focar nos personagens secundários, -- sem reinvenções do Batman --, e sim nos mostrando outros personagens.
De início temos várias tramas acontecendo ao mesmo tempo, porém todas acabam se ligando, primeiramente o Adão Negro está causando um terror político como ditador em Kahndaq, matando pessoas "pelo bem maior" e basicamente agindo como o homem mais poderoso do planeta, (o quê pra ser honesto, depois de terminar a HQ, eu fiquei em dúvida se ele realmente não é); por outro lado temos Ralph Dibny ( o melhor personagem da DC), pra quem não sabe ele é muito bem humorado e tem um lado detetive fantástico, foi um membro da Liga da Justiça da Europa e juntamente coma sua esposa Sue, eles se mostraram muito prestativos com o decorrer dos anos, porém perto do aniversário de Ralph, sua casa está em chamas, aonde Sue é queimada viva e Ralph consegue encontrá-la pouco antes de morrer, com ela revelando estar grávida, o que torna a situação ainda pior, porém de membro de sucesso da Liga da Justiça e piadista, ele se torna um cara deprimido e herói aposentado quê, conhecendo o mundo aonde vive, de início tenta reviver a sua esposa, porém sem êxito, a sua trama realmente começa quando ele passa a investigar como Sue morreu; ainda por outro lado, vemos o Gladiador Dourado que ( sério ) , se um dia a DC for fazer um filme do personagem, o que vimos nessa HQ precisa ser usado, a personalidade egoísta e heróica dele são levadas ao limite, não irei spoilar nada, mas ver ele agindo como um babaca apenas pela fama e tendo seus momentos como um verdadeiro herói não só fazem jus a ele como ao ( na minha opinião ) melhor episódio de Liga daJustiça sem limites, "A maior história jamais contada", Gladiador e Skeets estão viajando no tempo, mas Skeets repara que as coisas parecem erradas e começa a indicar informações erradas para Gladiador Dourado, então ele presume que ele está quebrado, aonde vemos ele em uma jornada em busca do quê está acontecendo com Skeets, ao mesmo tempo que um novo super herói fodão chamado Super Nova aparece, esse que Gladiador odeia, pq ele está tentando ser " o novo Superman ", mas Super Nova é muito melhor, então a trama do Gladiador, de início é a mais importante, mostrando que um perigo real está acontecendo a linha do tempo; e por fim temos Estelar, Adam Strange e Homem animal que estão perdidos em outro planeta após os eventos de Crise Infinita, com sua trama sendo a mais chata na minha opinião, eles apenas querem voltar para casa, focando mais na viagem deles, mas gostei de como eles não usam tanto os poderes e tem que resolver as coisas de forma mais humana.

Com o desenrolar da trama, temos momentos únicos em cada história, Adão Negro se apaixonando e realmente tentando ser bom, mostrando brilhantemente a sua natureza conflituosa, assim como nos deparamos com o quão longe Ralph está disposto a ir pela sua esposa, a Estelar está gostosa nessa HQ, então é outro ponto positivo, mas o principal é como alguns personagens vão ganhando força ou aparecendo no decorrer da trama,como Questão, Renee Montoya, Batwoman e Asa Noturna, Bruno Manheim, Lex Luthor, Aço, Félix Fausto e muitos outros, aonde presenciamos não só uma face nova para todos esses personagens brilhantes, como mortes realmente impactantes e momentos tensos, a crise familiar entre o Aço e sua sobrinha, Lex Luthor tentando "melhorar o mundo", Questão agindo da forma mais paranóica o possível, enquanto pede ajudaa Renee em uma trama investigativa similar a de Ralph, mas quê entra muito a fundo na história do personagem. O final da HQ surpreende e percebemos quê, mesmo Superman, Batman e Mulher Maravilha não aparecendo na HQ, entendemos o porquê de sua importância e presença, então basicamente mesmo não aparecendo, eles conseguem ser personagens interessantes durante a trama toda, mas o verdadeiro ponto positivo de seu desfecho é ser um desfecho, temos o final de um ciclo para muitos heróis , aonde eu achei quê todos que morreram tiveram um final digno, todas as tramas foram devidamente finalizadas, assim como um futuro brilhante parece estar a frente deles, com novos heróis e a tentativa de melhorar o mundo, o quê é e pra mim sempre será a melhor moral em toda História em quadrinhos.
52 semanas tem 52 edições, mostrando uma semana cada e algumas com mais de uma parte, mas sim, é uma HQ grande, ainda tendo uma edição 53 focada na Trindade, essa que pode ser ignorada se quiserem, é bem ruim, acho que foi só pra encher linguiça.
Conclusão: 52 semanas é uma minissérie fantástica, nós vemos os personagens Bs e Cs da DC ganhando importância, mas não só isso,tramas muito bem construídas e que se interligam,assim como uma nova visão para personagens como a Batwoman, quê, antes de sua aparição em 52 semanas era basicamente um plágio mal feito do Batman e foi ganhar muita personalidade com essa HQ, mas infelizmente a DC optou por fazer Flashpoint que zera tudo, ainda assim eu acho 52 semanas muito melhor por adicionar o novo ao velho, é uma leitura cumprida, mas que vale a pena e uma das melhores HQs que eu já li na vida. Como eu falei antes, não comentei muita coisa da HQ,apenas o básico, por quê eu acho que é uma leitura que vale muito a pena , assim como a arte dela, eu achei o visual dos personagens muito bem definidos e vívido e as partes de romance, eu pensei que seria muito forçado, mas é algo bem natural, então 52 semanas fala de egoísmo, amor, redenção, traição, família, morte, poder e heroísmo puro.
Terminarei o post com uma frase do muito odiado Miles Morales ( não sei o por quê ): " Você não é um herói porquê sempre vence, é um herói porquê sempre tenta.”


Nenhum comentário