smc

Pesquisar este blog

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Maratona Novos 52 - Universo Liga da Justiça Parte 3


Guia com todas as postagens anteriores da maratona:
http://ozymandiasrealista.blogspot.com.br/2017/06/guia-de-leitura-da-maratona-novos-52.html


Análise de Liga da Justiça #7-12, do encadernado Justice League: The Villain’s Journey, com roteiro de Geoff Johns e desenhos de Gene Ha, Carlos D’Anda e Jim Lee, e tecerei breves comentários sobre as edições.


Edição #7: Um estranho invadiu as instalações da Argus, roubou um item valioso chamado de Órbita de Rá e no processo acabou infectando o cientista Samuel Street com o vírus Esporo. Apesar da Liga deter o cientista e serem heróis proclamados pelo povo, ainda não desfrutam de total confiança do governo.

Edição #8: O governo que impor novos membros para a Liga da Justiça, e o Arqueiro Verde foi o primeiro candidato, embora não tenha sido aceito de início. Porém, Oliver Queen não desiste e “ajuda” a Liga a enfrentar um grupo de Garras, parte do arco Noite das Corujas das histórias do Batman.

Edição #9: Um ano após a criação da Liga da Justiça, David Graves, autor do livro Deuses Entre Homens está morrendo. Ele planeja se vingar da Liga e seqüestra Steve Trevor. Em Gotham, Batman. Superman e Cyborg tentam impedir mais uma rebelião no Arkham. Em Central City, Lanterna Verde, Mulher-Maravilha e Flash cuidam de ataque à prisão Iron Heights. Todos eventos interligados. Tem início o arco Jornada do Vilão.

Edição #10: Depois de torturar alguns vilões, Graves descobre as fraquezas dos membros da Liga e invade a Torre de Vigilância. Ele acusa a Liga de matar sua família, e ataca os heróis com seus espectros que sugam seus piores temores.

Edição #11: Steve Trevor ainda está desaparecido, talvez até morto. Diana está determinada a salvar seu amigo e colocar um fim em David Graves, mesmo que precise passar por cima de seus companheiros da Liga.

Edição #12: A Liga da Justiça chega até o Vale das Almas para resgatar Steve Trevor e enfrentar David Graves, mas antes, seus membros terão de encarar suas próprias fraquezas.

Cinco anos após se reunirem, a Liga da Justiça deve encarar uma consequência de seu passado. Geoff Johns faz um retrato interessante da Liga na maneira como eles se portam como equipe, tendo em vista sua posição elevada perante o público, e ao mesmo, tempo, os coloca como apenas humanos quando enfrentam seus piores temores. Excelente arco. Leitura recomendada.


Análise de The Flash #9-12, 0 e Anual #1, do encadernado The Flash: Rogues Revolution, com roteiro e desenhos de Francis Manapul e Brian Buccellato e Marcus To, e tecerei breves comentários sobre as edições.


Edição #9: Flash vai parar em Gorilla City, sem nenhuma lembrança de quem é. A cidade é dominada pelo opressivo Rei Grodd. Os antigos anciãos acreditam que o Velocista Escarlate é o Mensageiro predito em antigos escritos que chegaria para libertar o povo da opressão. Íris West e outros tripulantes do navio em que estavam continuam presos dentro da Força de Aceleração.

Edição #10: Barry Allen retorna à Central City e é surpreendido com os protestos anti-Flash de seu suposto aliado, o Dr. Elias. Patty Spivot é enviada à Guatemala para resolver o assassinato de Cláudio Mardon, irmão de Marco, o Mago do Tempo. Isso a coloca em apuros, obrigando o Flash a fazer uma longa viagem para salvá-la e descobrir o responsável pelo assassinato.

Edição #11: Um bairro perigoso de Keystone City está literalmente sendo incendiado. Dado como morto, Barry Allen começa uma investigação secreta para descobrir quem é o incendiário. E o Flash acaba ficando no meio de um confronto entre o Capitão Frio e o Onda Térmica.

Edição #12: A Galeria dos Vilões está de volta, agora sob a liderança de Lisa Snart, a Patinadora, irmã de Leonard. Ela rejeita o irmão e reúne a equipe novamente. Seu próximo ato é se vingar do Dr. Darwin Elias, fazendo com que o Flash levasse a culpa.

Anual #1: A história mostra os eventos que aconteceram um ano e meio atrás, que levou ao fim da Galeria dos Vilões, o acidente com Lisa Snart e os motivos das desavenças com o Capitão Frio. Agora, Leonard faz uma improvável aliança com o Flash para sobreviver a seus ex-colegas.

Edição #0: Cinco anos antes, um acidente provocou a grande transformação na vida do cientista forense, Barry Allen, tornando-o o homem mais rápido vivo. Durante toda a sua vida, Barry jamais desistiu de provar a inocência de seu pai encarcerado e acusado de matar a própria esposa.

As edições regulares continuam a desenvolver a trajetória do Flash e aproveita para introduzir a Galeria dos Vilões nessa nova versão. E as edições especiais exploram mais o passado do herói velocista e seus inimigos. Leitura recomendada.

Análise de Arqueiro Verde #7-13, do encadernado Green Arrow: Triple Threat, com roteiro de Ann Nocenti e desenhos de Harvey Tolibao, Steve Kurth e Freddie Williams II, e tecerei breves comentários sobre as edições.


Edição #7: Ollie às voltas com as responsabilidades com suas empresas. De repente, conhece as Cotovias, três irmãs apaixonadas pelo Arqueiro Verde e seu trabalho de vigilante. À convite delas, Oliver viaja até seu QG no Canadá, mas cai em uma armadilha.

Edição #8: Com a queda do jato de Oliver e seu desaparecimento (ou suposta morte), as Indústrias Queen corre o risco de passar para as mãos de Emerson. Enquanto isso, no Canadá, o Arqueiro Verde faz uma descoberta com manipulação genética que o deixa surpreso.

Edição #9: O cerco se fecha para o Arqueiro Verde nas montanhas geladas do Canadá. Naomi e Jax partem em uma expedição para procurar por Oliver, recusando-se a acreditar que ele esteja morto.

Edição #10: Um robô ou um ser humano? A empresa Nacrotics oferece os melhores serviços robotizados atendendo qualquer clientela. Até que o Arqueiro Verde desconfia de que as coisas não são nada do que parecem.

Edição #11: Uma dupla de arqueiros que dizem estar fazendo um trabalho no estilo “Robin Hood” chama a atenção do Arqueiro Verde. Apesar de não representarem uma grande ameaça, sua filosofia faz com que Oliver reflita sobre a existência do Arqueiro na cidade.

Edição #12: Depois de perder sua companhia para Emerso, Oliver vai até a China tentar reaver parte das ações da Q-Core de volta. O Arqueiro Verde tenta sobreviver em uma cultura totalmente diferente da que conhece.

Edição #13: O Arqueiro Verde enfrenta forças espirituais antigas e sombrias para defender sua tecnologia de vigilância. Durante o confronto, recebe ajuda de Suzie Ming, uma aliada não somente no embate físico, mas ideológico também.

A escritora Ann Nocenti, que assumiu os roteiros nesse segundo volume, já fez histórias com temas relevantes (como aconteceu com o Demolidor nos anos 80), e dá para perceber que ela tentou fazer o mesmo aqui. Mas, simplesmente não funcionou. Uma narrativa confusa e enquadramentos que não parecem sincronizados entre si. Leitura insatisfatória.

Análise de Aquaman #7-13, do encadernado Aquaman: The Others, com roteiro de Geoff Johns e desenhos de Ivan Reis, e tecerei breves comentários sobre as edições.


Edição #7: Aquaman e Mera encontram uma relíquia atlante no Fosso e levam-na para o Dr. Shin, na esperança de que ele saiba do que se trata. De repente, Ya’wara, uma guerreira selvagem, que parece conhecer Arthur invade a casa de Shin para matá-lo e avisar Aquaman e outra conhecida, Kahina, foi assassinada pelo Arraia Negra.

Edição #8: Seis anos antes, Aquaman se juntou a um grupo de super-humanos, os Outros, formado por Ya’wara, Kahina, Agente, Prisioneiro e Vostok e tentaram deter o Arraia Negra. Hoje, o vilão está à caça do grupo e das Relíquias da Atlântida.

Edição #9: Arraia Negra vai atrás do Prisioneiro, mas ele consegue escapar com sua relíquia. Enquanto analisa o artefato encontrado no Fosso, Shin conta à Mera os acontecimentos passados envolvendo Aquaman e Arraia Negra, uma relação de ódio e vingança que dura anos.

Edição #10: Aquaman e Arraia Negra, duas vítimas presos em um ciclo de vingança, digladiam por suas vidas. No entanto, antes que o confronto se encerre, Arraia rouba a relíquia de Ya’wara e se dirige até a casa de Stephen Shin.

Edição #11: O Agente se junta ao grupo de Aquaman. Suas investigações revelam que o Arraia pretende encontrar uma relíquia secreta na tumba do Rei Morto, o primeiro Rei da Atlântida.

Edição #12: Arraia Negra finalmente encontra a sétima e escondida relíquia atlante – o Cetro do Rei Morto, o único artefato que pode fazer frente ao Tridente do Aquaman. Os Outros pedem a ajuda de Mera, mas durante mais um confronto violento, o Arraia faz outra vítima.

Edição #13: Corroído por um sentimento de culpa, Aquaman busca a redenção indo atrás do Arraia Negra, mas desta vez, ele não está sozinho. Desta vez, ele tem a companhia de Mera e os Outros.

No segundo volume, o escritor Geoff Johns introduz o grupo Os Outros e explora o passado de Aquaman. Johns sabe como expandir uma mitologia (ele já fez isso com o Lanterna Verde) de maneira natural e convincente. Leitura altamente recomendada.

Análise de Mulher-Maravilha #7-12, do encadernado Wonder Woman: Guts, com roteiro de Brian Azzarello e desenhos de Cliff Chiang e Tony Akins, e farei breves comentários sobre as edições.


Edição #7: A Mulher-Maravilha precisa resgatar Zola das mãos de Hera. Ela recorre à Hefesto, o criador de seu laço mágico. E aprende um pouco mais sobe seu passado, ou melhor, sobre o passado sombrio das Amazonas e o motivo de apenas guerreiras mulheres habitarem a Ilha Paraíso.

Edição #8: Armada com um arsenal provido por Hefesto, Diana parte para o submundo de Hades junto com Hermes para resgatar Zola. Eles a encontram, mas acabam sendo encontradas por Hades também.

Edição #9: Para libertar Zola, Diana foi prometida em casamento com Hades. Agora, Hefesto, Lennox e Eros precisam chegar a tempo de impedir o matrimônio.

Edição #10: A Mulher-Maravilha luta para escapar do inferno, mas o que se vê é uma lição do verdadeiro amor e altruísmo por parte da amazona.

Edição #11: Hera está decidida a impedir que a profecia se cumpra e pede à Apolo e Ártemis para trazerem Zola e bebê em seu ventre, herdeiro do trono de Zeus. Diana e Hermes tentam impedir, mas sem sucesso. Agora, em troca de sua missão, Apolo exige o trono de seu pai.

Edição #12: Apolo ascende ao trono e sua primeira ação é exilar a Rainha Hera. A Mulher-Maravilha vence Ártemis e propõe um acordo com Apolo. O bebê de Zola nasce, mas é levado por Hermes.

Continuação da trama principal do título envolvendo o herdeiro de Zeus e o trágico futuro dos deuses. Apesar de continuar a desenvolver bem todos os personagens, o escritor Brian Azzarello dá grande destaque à Mulher-Maravilha mostrando porque ela é uma das grandes ícones do universo DC. Leitura recomendada.

Por Roger



Nenhum comentário:

Postar um comentário