smc

Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

LIGA DA JUSTIÇA VS ESQUADRÃO SUICIDA #03 - #06


“Max salvou o mundo em poucos minutos. Você, mais do que ninguém, conhece o poder da Liga, meu amigo, não venha atrás de nós.”

Max fez porra nenhuma!

Edição 01 AQUI.
Edição 02 AQUI.

Roteiro: Josua Williamson
Desenhos: Jesus Merino, Fernando Pasarin, Robson Rocha, Howard Poter.
Editora: DC (Rebith)
Tamanho: 90 MB
Nível:


Eu sou forte. Precisei ser para chegar ao final disso, e faxinar minhas memória para escrever sobre. Digamos que eu sou o editor desse quadrinho, e eu peço que algumas coisas sejam feitas, tais quais me arrumar uma membro do Esquadrão para a Liga, não matar ninguém das duas equipes, e dar um jeito do Batman e a Liga “fazerem vista grossa” pra gangue da Amanda Waller. E daí, o roteirista, enrolasse como desejasse o resto, contanto que soma-se seis edições. Eu como editor, como outra prova, de que não levo esse projeto (e possivelmente minha profissão) a sério, convidaria excelentes desenhistas nas capas, e as demais edições, colocaria sempre um desenhista diferente. “Mas isso é um absurdo, pra que tanto exagero, Ozymandias?”, é mesmo? Leia esses quadrinhos, leia essas 6 edições, e me diga se a impressão que fica não é dessa para pior.
Tínhamos aqui, a chance de uma trama, que poderia ecoar bastante. Tirando o fato da evidência que os personagens envolvidos estão, por causa dos filmes, tínhamos aqui um material que poderia ter ido para a principal questão “Quem são os vilões?” os que cometem crimes ou os que tratam de seu encarceramento? E não estou sendo inspirado por questões políticas aqui no Brasil, é a pura lógica. Como você se sentiria sendo por exemplo o Flash, prendendo um assassino frio e cínico como o Capitão-Bumerangue, e soubesse que assim que dá as costas, ele é colocado para matar outras pessoas (muitas vezes violando leis internacionais) a mando da própria “Justiça”? Que medidas tomaria? Prenderia ele por conta própria? Tentaria expor o sistema e se tornar um pária dele? Mataria o desgraçado, já que sua regeneração é ainda mais fantasiosa? Ou tentaria ser o “agente condicional” dele?
Oh, mas claro, tratar quadrinhos de maneira séria? Tentar ir além do Status Quo? Devo estar lendo muito Alan Moore para pensar de maneira tão desvirtuada...


Nota: 2.4


Nenhum comentário:

Postar um comentário