Pesquisar este blog

smc

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Review: Guerras Secretas - A Saga Principal (Editora Panini)


Leia o review completo sobre a saga Guerras Secretas, escrito por Jonathan Hickman e desenhos de Esad Ribic, lançado pela Editora Panini entre julho a novembro de 2016.

Guerras Secretas 1:

Free Comic Book Day 1: Faltam quatro dias para o fim do mundo. No Edifício Baxter, Valéria Richards comanda o projeto do bote que poderá salvar algumas vidas, junto com seus colegas da Fundação Futuro. Edição especial relembrando os eventos que levaram à saga, desde a descoberta dos universos colidindo pelos Illuminati até o momento em que a Terra 616 é invadida pelos heróis da Terra 1610 (universo Ultimate).

Secret Wars 1: É a hora da última incursão entre as Terras 616 (tradicional) e 1610 (Ultimate). Em um último esforço, os que restaram dos Illuminati tentam salvar algumas pessoas escolhidas enquanto que heróis das duas Terras se digladiam até a morte. Quando o bote salva-vidas criada pela Fundação Futuro fica pronto e decola, é atingido, causando uma separação traumatizante para seus passageiros.

Após 55 anos do universo tradicional e 16 anos do universo Ultimate, tudo chega ao fim. Uma história eletrizante e de tirar o fôlego, uma luta pela sobrevivência a todo custo. Além disso, é interessante observar o paralelo que o escritor Jonathan Hickman traçou entre os dois Reed Richards, cada um agindo de acordo com suas próprias convicções. Leitura altamente recomendada.

Guerras Secretas 2:

Secret Wars 2: Com o fim de tudo, surge o Mundo Bélico, uma colcha de retalhos, formada por vários domínios que lembram diversos eventos da Marvel ao longo dos anos, e é governado por Deus Destino. O Barão Sinistro é convocado ao Castelo de Destino para responder à acusação de fazer uma aliança com Hipérion, de Utópolis contra o reino de Excelsa Avalon da Dinastia Braddock.

Na edição #2, o escritor Jonathan Hickman apresenta o Mundo Bélico sob a perspectiva da Tropa Thor, a guarda oficial de Destino. Alguns domínios como Utópolis, Excelsa Avalon e as Terras Mortas, bem como personagens relevantes para o desenrolar da trama. E o final, com a descoberta da Balsa contendo os integrantes da Cabala e Reed Richards do ex-universo Ultimate deixa no ar muito mais do que simples questões. Leitura altamente recomendada.

Guerras Secretas 3:

Secret Wars 3: Coordenando o trabalho de investigação dos Thors para descobrir quem estava no bote encontrado e assassinou um dos mais poderosos da Tropa Thor, o Xerife Strange encontra Miles Morales. Destino se questiona sobre sua autoridade e seu papel no Mundo Bélico, embora Susan o tenha na mais auto-estima pelo que ele fez. Finalmente a arca contendo os heróis sobreviventes da Terra 616 é aberta e Stephen lhes conta sobre a criação do Mundo Bélico por Destino.

Jonathan Hickman começa a revelar detalhes sobre o que se trata as Guerras Secretas e responder algumas das questões plantadas no começo da saga. Com uma narrativa bem fluída e os desenhos sensacionais de Esad Ribic, essa história também mostra um lado de Destino até então pouco explorado. E para completar, uma história retirada de Secret Wars: Journal 1, que mostra um grupo de X-Men dos domínios de Egípcia, tentando lutar por sua liberdade, longe da escravidão da deusa Konshu. Leitura altamente recomendada.

Guerras Secretas 4:

Secret Wars 4: O Xerife Strange leva os sobreviventes da arca até seu Santuário onde os coloca a par de toda a história, desde o conhecimento de que os Beyonders estavam por trás da destruição do Multiverso, até a criação do Mundo Bélico por seu atual deus Destino. A batalha entre a Tropa Thor e a Cabala dos vilões em Utópolis, chega até Destino que decide intervir, ao notar a primeira versão de Reed Richards (na verdade o 616) que ele descobriu desde a criação desse novo mundo. Ciclope confronta Destino e é assassinado. Stephen, em um último gesto heróico, envia todos para bem longe, provocando a ira de seu deus.

Mais detalhes sobre a criação do Mundo Bélico com todos os seus domínios fragmentados e inconstantes. E um detalhe interessante que chama a atenção em Destino acontece quando ele descobre que Reed Richards está vivo. Quando Stephen diz à Destino: “Mesmo com todo esse poder, você ainda tem medo dele”, revela uma das primeiras grandes rivalidades surgidas no Universo Marvel. A história complementar de Secret Wars: Journal 2, mostra o cozinheiro do Barão Sinistro, Matt Murdock em sua tentativa de salvar sua amada Colektra, a caçadora do domínio. Uma história até revelante apesar de possuir apenas dez páginas. Leitura altamente recomendada.

Guerras Secretas 5:

Secret Wars 5: Após o funeral de Strange, Destino visita Owen Recce, o Homem-Molecular, a terceira parte da trindade que fundamentou as bases do Mundo Bélico e destruiu os Beyonders. Ele vive escondido de todos e é praticamente a fonte de energia que mantém este novo planeta em funcionamento. Com os “sobreviventes” espalhados graças à intervenção do xerife de Agamotto, Destino ordena que sua filha reúna sua equipe, a Fundação Futuro para rastrear e descobrir o paradeiro desses estranhos visitantes.

Mais uma edição que acrescenta uma peça importante no quebra-cabeça que deu origem à Guerras Secretas. Nesse ponto, pode parecer que a história se torna arrastada e longa em excesso, mas é dessa forma que Jonathan Hickman costuma desenvolver suas tramas, oferecendo apenas pequenos pedaços suculentos para que o leitor possa saborear e aproveitar bem os detalhes. A completa ausência de cenas de ação fica evidente, mas é compreensível pela proposta dessa edição em particular. A história complementar foi publicada em Secret Wars: Journal 3 II, e mostra o trabalho do Dr. Samson, terapeuta vivendo no Gamamundo, onde as pessoas, a qualquer momento e por qualquer motivo podem perder a cabeça e se transformar em um Hulk! Leitura recomendada.

Guerras Secretas 6:

Secret Wars #6: As investigações de Valéria a cerca do assassinato do Xerife Strange a fazem indagar sobre a verdade por trás do Mundo Bélico. Os Homens-Aranhas (Peter Parker e Miles Morales) são enviados por Reed Richards (da Terra 616) para descobrir a origem da fonte de poder de Destino, e isso os leva até Owen Ricce, o Homem-Molecular. Além disso, rápidas cenas que terão impacto futuro, como oPantera Negra e Namor em posse da Manopla do Infinito e Thanos despertando a fúira de Ben Grimm.

Uma excelente edição. Enquanto o maligno Reed (Terra 1610) estuda maneiras de exterminar o Deus Destino, Reed (Terra 616) está mais preocupado em descobrir a fonte dos poderes de Destino que lhe permitiram criar o Mundo Bélico, além de indagar se o extermínio de Doom também significaria o fim deste mundo. Mas o ponto alto dessa edição é o momento em que Sue conta a história do Quarteto Fantástico para seu filho Franklin. A maneira como os acontecimentos levaram até o presente em questão, ilustra toda a aversão, rancor e ódio acumulados no coração de Von Doom no decorrer das décadas de humilhação e derrotas frente à Reed Richards. Um quadro muito bem retratado por Hickman. A história complementar foi publicada em Secret Wars: Journal 4 I, mostra o Justiceiro e o Punho de Ferro atuando como dois protetores do Escudo que descobrem um exército de Ultrons modificados e perigosos. Leitura altamente recomendada.

Guerras Secretas 7:

Secret Wars #7: O Profeta, cuja identidade é revelada incita à rebelião. Até mesmo a Tropa Thor se volta contra a vontade de Deus Destino, e a traição se infiltra entre seus Barões leais. Por toda Latverion vemos focos de rebelião. Além disso, Reed Richards, T’Challa e Namor colocam em prática um plano surpreendente ao destruir parte do Escudo e dominar os Mortos-Vivos para se unirem em seu ataque final ao castelo de Destino.

Uma edição que se diferencia dos demais por estar recheada de ação. Podemos ver também o início da queda de Destino após uma série de eventos que, de certa forma, começaram quando ele assassinou Stephen Strange. A história complementar foi publicada em Secret Wars: Journal 1 I e traz uma aventura de Lady Kate de Bishop no domínio da Inglaterra do Rei James Braddock, tentando roubar um artefato da Catedral do Deus Destino. Leitura altamente recomendada.

Guerras Secretas 8:

Secret Wars #8: A batalha pela queda do Castelo de Destino continua. Reed Richrads envia Peter Quill para acionar uma arma secreta. Galactus versus Ben Grimm, que se libertou do Escudo. Em meio ao caos, Valeria pede à sua mãe Susan que confie nela, pois é chegado o momento de revelar o que Destino vem escondendo de todos. Toda a ação contida nas edições anteriores explode em cenas incríveis e brutais, sob o comando do desenhista Esad Ribic, e Destino mostrando que tem toda a situação sob controle, apesar do caos à sua volta.

A história complementar foi publicada em Secret Wars: Journal 5 I. Nos Desertos, Linda Carter, a Enfermeira Noturna está além de curar pessoas, será preciso atacar a fonte da doença. No geral, mais uma leitura recomendada.

Guerras Secretas 9:

Secret Wars #9: Reed Richards e o Criador adentram a câmara do Homem-Molecular. Destino está prestes a acabar com o Pantera Negra em posse da Manopla do Infinito, quando se dá conta do que realmente está acontecendo e também se dirige à câmara de Owen Reece. E lá, se dá o confronto final entre dois dos adversários mais antigos e clássicos dos quadrinhos Marvel – Reed Richards e Victor von Doom. A história complementar foi publicada em Secret Wars Tôo 1, e escrita pelo próprio Jonathan Hickman. Na verdade, se trata do próprio autor fazendo sua apresentação para os editores da Marvel Comics sobre Guerras Secretas. A ideia foi aceita, mas Hickman anda não tinha um final definido e pede conselhos ao Doutor Destino!! Hilário.

Jonathan Hickman presta sua homenagem ao primeiro grande grupo de heróis da Marvel, o Quarteto Fantástico e sua eterna luta contra seu maior adversário, o Doutor Destino. É interessante a forma como Doom é retratado, apesar suas falhas, transparecendo seu lado humano, como na ocasião em que matou Stephen Strange, no fim das contas, Hickman mostra Destino como sendo o verdadeiro salvador do universo Marvel, afinal, se não fosse por ele, não haveria o Mundo Bélico. O fato desse planeta ter vários defeitos pode ser debatido, mas a verdade é que Reed falhou em sua tentativa de impedir as incursões e até mesmo de salvar a sua família, evitando o fim do Multiverso. Antes de confrontar Destino, ele diz: “Meu nome é Reed Richards... eu sou aquele que conserta as coisas”. Essa é a mesma frase que Reed usou no primeiro arco que escreveu para o Quarteto Fantástico, ainda na fase do Reinado Sombrio em 2009. E agora ele fecha seu ciclo de maneira soberba. Basta notar as páginas finais, mostrando como fica o universo Marvel oito meses depois. No final das contas, Destino pode ser considerado o salvador, mas Reed é aquele que “arruma a casa”. Leitura imperdível.

Por Roger



Nenhum comentário:

Postar um comentário