Pesquisar este blog

smc

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

UM LOBO A PORTA CHAMADO... SERGEY KARJAKIN


   Geralmente não dou notícias por aqui, mas amanhã, para quem não sabe ou  não se importa começa o campeonato mundial de Xadrez, numa disputa, suponho eu, de 24 partidas, conforme as regras das FIDE desde 1985. Ficando o placar 12x12, o título mantendo-se com o campeão. Já vi algumas partidas do Carlsen, e apesar dele ser um notável gênio, com vinte e poucos anos, não tenho muita identificação com ele, como com antigos campeões. E não cito só a dupla "K e K", falo de jogadores como Korchnoi (que não chegou a ser campeão mundial, mas eu o considero um), Kramnik, Capablanca, Alekhine, e outros. O rapaz mais parece um "pop star"... Mas não estou aqui para ficar atacando o campeão, como o nome já diz, ELE É O CAMPEÃO, independente de saudosistas como eu. O que acontece é que o mundial de 2013, foi tido pela maioria (e me incluo) como um dos mais "sem graça" já feito até hoje, as partidas não tinham a emoção e batalha que um evento de grandiosidade dessas tem. Tinhamos um abatido Anand, ex-campeão mundial, e grande rival de Kasparov nos anos 90, conhecido como "o tigre de Madras", mal conseguindo mostrar suas unhas, frente a um entediado Magnus Carlsen, jogando de forma quase mecânica, sem ao menos considerar levar um arranhão desse "velho tigre". Mas, agora em 2016, a coisa é diferente. "A máquina", como é chamado Carlsen por sua habilidade de cálculo tida como "o próximo estágio do que é o homem no xadrez" viu que não era bem assim, e no decorrer desse mês, começando amanhã, dia 11 de Novembro de 2016, e indo até dia 28, também desse mês, veremos esse "semideus" ser posto a prova, por outro de igual intensidade. 





   Infelizmente, eu nunca cheguei a acompanhar ao vivo uma partida de mundial. Vim descobri os meios esse ano, já que é o tipo de evento que não vemos na TV aberta, e em conhecidos portais de notícias. E pelo visto, continuarei sem ver, já que é algo "pay per view". Mas terminada as partidas, vou poder acompanhar a partida pelos comentários de diversos canais do You Tube, e posso até arriscar comentar uma ou duas coisas aqui. Traduzi no translate, fazendo pequenos ajustes, algumas informações sobre o desafiante Sergey Karjakin. Confesso que conheço quase nada dele:

"Durante muitos anos, Sergey Karjakin foi o mais proeminente rival contemporâneo de Magnus Carlsen. (Ambos nasceram em 1990, embora Karjakin seja 10 meses mais velho.). Mas enquanto Carlsen estava subindo para o primeiro lugar e vencendo o Campeonato Mundial, Karjakin teve tempo para estabilizar e encontrar o seu lugar no topo.

Seu primeiro grande avanço foi vencer o Mundial de 2012 Rapid Championship antes de Carlsen. Depois disto, ele teve algumas vitórias notáveis ​​no torneio, incluindo empatar para o primeiro lugar em um torneio de Grande Prêmio no Uzbequistão em 2012 e vencer o torneio de xadrez da Noruega em 2013 e 2014 à frente de campos de classe mundial que incluíram novamente Carlsen.

No torneio Candidates de 2014, ele teve um início lento, mas fez uma cobrança atrasada para quase ultrapassar Viswanathan Anand e ganhar o direito de jogar Carlsen para o Campeonato do Mundo. Enquanto ele chegou perto, foi, sem dúvida, uma valiosa experiência de aprendizagem.


Na verdade, isso pode ter sido o que o ajudou a lançar com êxito um dos mais épicos revezes da Copa do ano passado, quando superou o déficit de 0 a 2 para vencer Peter Svidler, seu compatriota, nos jogos de desempate.

Karjakin, que nasceu na Ucrânia, chamou a atenção do público em 2002 quando tinha 12 anos e acompanhou Ruslan Ponomariov, de 18 anos, como seu segundo oficial no Campeonato Mundial de eliminatórias do FIDE. Ponomariov tornou-se o mais jovem campeão do mundo naquele evento, e pouco depois Karjakin tornou-se o mais novo mestre de todos os tempos com 12 anos e 7 meses - um recorde que ainda permanece.

Sua carreira continuou suavemente a partir daquele momento, mas sempre na sombra de Carlsen. Embora a classificação e a classificação de Karjakin melhorassem constantemente, ele não recebeu o mesmo número de convites e, portanto, oportunidades, como Carlsen e não correspondia a seus sucessos. Em um ponto, perguntado em uma entrevista o que ele ia fazer sobre Carlsen, Karjakin brincou que ele teria que acertá-lo sobre a cabeça com um morcego. Mas ele pode ter encontrado melhores maneiras de lutar, como ele mostrou ao vencer os torneios de elite na Noruega em 2013 e 2014, que foram em parte destinados a ser vitrines para a estrela local.

Sua vida pessoal passou por muitas mudanças ao longo dos últimos anos também. Ele foi casado duas vezes e recentemente se tornou um pai. Mais proeminente, para grande consternação dos ucranianos, mudou sua federação e sua nacionalidade para a Rússia. Isso lhe deu um melhor acesso a treinadores de classe mundial que aprenderam sob o velho sistema soviético, e também apoio financeiro de um número de patrocinadores ricos, notadamente Andrey Filatov, que é presidente da Federação Russa de Xadrez e vice-presidente da FIDE.

O investimento russo em Karjakin está pagando para a equipe nacional também, como ele é um de seus membros mais importantes. Por exemplo, no ano passado, em um jogo incomum entre a Rússia e a China, um jogador de cada equipe jogou até que ele perdeu. Karjakin sozinho desmantelou toda a equipe chinesa de grandes mestres!

Como jogador, Karjakin raramente toma riscos desnecessários, está disposto a grind vitórias, mesmo contra os melhores adversários, e está entre os melhores defensores do mundo. Mas ele também muito princípios - ele não vai se esquivar de uma luta, se ele acredita que é a coisa correta a fazer. Essa atitude estava em plena exibição na última rodada dos Candidatos quando ele enfrentou Fabiano Caruana, seu principal rival para o título.

Karjakin só precisava de um empate para o torneio e ele tinha as brancas. Muitos Grande Mestres em uma situação similar tentariam jogar solidamente e conseguir um empate. Era óbvio que Caruana iria tentar o seu melhor para sacudir as coisas - o ônus estava claramente sobre ele. A pergunta era como Karjakin deveria responder se Caruana escolheu uma abertura aguda? No final, Karjakin tomou a abordagem de princípios e jogou tão agressivamente como é normal, como se houvesse muito pouca equitação no jogo."

Para acessar esse texto original em inglês: https://worldchess.com/2016/08/09/the-challenger/

E aqui, para os pobres como eu, há uma tabela que será atualizada com a pontuação e as partidas para visualização, conforme os jogos forem ocorrendo:

O jogo contra Caruana, na Copa de Classificação mencionado:



Alguns veículos para ir acompanhando mais:


Um comentário:

  1. Cara o campeonato mundial vai ser numa melhor de 12 partidas e ganha quem ganhar 6,5 pontos. Se terminar empatado vai ter uma série de 4 partidas rápidas de 25 min + 10seg de incremento. Havendo empate, mais 4 partidas 3 + 2 e persistindo empate vamos ao armageddon.
    Informações sobre o xadrez em Avaré e Regiao acesse xadrezavareeregiao.blogspot.com
    Um abraço

    ResponderExcluir