quarta-feira, 9 de março de 2016

Surdez de Brian Johnson não veio da música


Foram todos pegos de surpresa com a ruim notícia de que o AC/DC terá que remarcar dez shows de sua turnê por conta de problemas de audição do cantor Brian Johnson. Problemas esses que poderiam levar a sua total surdez! É tão sério, que no próprio site oficial da banda eles avisaram que os shows serão remarcados pro final do ano e provavelmente com um vocalista substituto. Na Internet, fãs encontraram uma entrevista de 2014 onde o nosso amado Brian explica como ferrou sua audição.


"Eu tive perda de audição no meu ouvido esquerdo. Eu não perdi por causa da música, eu fiquei muito tempo em um carro de corrida sem um protetor de ouvido."

"Eu estourei meu tímpano porque esqueci de colocar os protetores por baixo do capacete. Foi isso que aconteceu."

"A música não teve nada a ver com isso... Eu fiquei tonto, metade do meu ouvido tinha ido embora. Eu tirei o capacete e havia sangue saindo. Eu tinha estourado meu tímpano."


Pesado. Para os que não sabem, Johnson é um aficionado por carros e realmente participa de corridas há muito tempo, desde quando era jovem, ele não é qualquer fanfarrão no território. 


Cara... Isso é uma merda! Primeiro que sempre foi um dos vocalistas que eu mais considerei, mesmo um monte de gente fazendo pouco por ser substituto do Bon Scott. Lembro que quando começou essa turnê eu achei que ele tava em ótima forma pra um cara já com 70 anos, nunca esperei que bem ele teria que sair por problemas de saúde. Já são três membros a menos da formação clássica lá do "Back in Black"...


Já há um monte de sites e revistas levantando possíveis vocalistas substitutos, mas eu não vou postar aqui, porque não gostei de nenhum deles. Então vou colocar minhas sugestões pessoais.

1-Mark Tornillo (Accept)


Há vários locais sugerindo o Udo Dirkschneider, mas acho isso a maior besteira, já que o Udo já foi substituído pelo Mark Tornillo no Accept e fizeram três álbuns muitíssimos bem recebidos (já planejam mais um pra 2017). Assim como o Udo, o Tornillo tem uma voz bem parecida, e o próprio Accept é considerado a versão Heavy Metal do AC/DC. Bem, é o primeiro que me veio a cabeça. Os alemães do Accept virão ao Brasil mês que vem.

2-Steven Tyler (Aerosmith)


O sr. Tyler pode não ser mais o mesmo, já com 67 anos de idade, mas também, o Brian já passou dos 70. Além de ser um dos maiores cantores de rock da história (podendo competir tranquilamente como maior...), o vocalista do Aerosmith tem meio que toda uma história com a banda. Sente-se rapidamente que eu vou contar. Quando os australianos começaram, Steven deu mó apoio pra eles conseguindo levá-los a tocar na televisão em um especial de Ano Novo. Depois que Bon Scott morreu, o seu grandioso substituto Brian Johnson pôde contar com conselhos de ninguém menos que o próprio Steven Tyler para lidar com a pressão de estar em uma grande banda. Para fechar, em 2003 quando eles entraram pro Rock and Roll Hall of Fame, quem os apresentou foi novamente... Steven Tyler! Que inclusive dividiu os vocais no clássico "You Shook Me All Night Long", como você pode ver no vídeo acima.

3-Dee Snider (Twisted Sister)


O Twisted Sister é subestimado, mas é uma puta banda. O Dee Snider manteve muito bem a forma, inclusive, é que eu não consegui passar pra cá, mas ano passado ele foi homenageado fechando o evento "Rock Meets Classic", onde clássicos da música pesada como Rainbow, Kim Wilde, Helloween e Alice Cooper são tocados com o apoio de toda uma orquestra. Na edição de 2015, Snider após tocar quatro músicas de sua carreira terminou com "Highway to Hell", vale a pena conferir. Ele é a minha última sugestão. Após a morte do baterista AJ Pero, eles haviam marcado de começar uma turnê de aniversário de 40 anos/despedida, a "Fourty and F*ck It", mas faz tempo que não ouço falar mais nada. Apesar do Twisted Sister gravar nada de novo há décadas, Dee Snider há alguns anos lançou o "Dee Does Broadway", onde tocava clássicos da Broadway em forma de Heavy Metal, e também havia chegado a anunciar uma coletânea de seus trabalhos solo contando com gravações inéditas, esse último se chamaria "Rock and Roll Ain't Dead", um tipo de resposta à polêmica afirmação de Gene Simmons, baixista da banda Kiss, de que o rock estava morto e havia sido um assassinato.

E é isso, amiguinhos.


Rock and Roll!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário