Pesquisar este blog

smc

quinta-feira, 24 de março de 2016

ANÁLISE COLEÇÃO DE ENCADERNADOS - ROUND 4

Bizarro colocar óculos para ler post grande

Olá, eu ainda acredito em um Round 5, apesar de estarmos beeeeem atrasados. Caramba! Eu vou na banca não acredito na quantidade de encadernados que tem! Nem parece que estamos em crise, meu irmão! Mas a verdadeira razão de ter atrasado é que eu estive sem tempo pra ler mesmo. Mas então, vamos recapitular as linhas.

COLEÇÃO OFICIAL DE GRAPHIC NOVELS: Essa era as capas pretas da Salvat, envolvia estórias da Marvel, e fez tanto sucesso que eles prolongaram! Muitos já saíram, umas dos Vingadores na época do Bendis, há pouco saiu um do Deadpool pela primeira vez e também deve vir a recente fase do Demolidor com o Mark Waid. Até agora foi a melhor, na minha opinião.

OS HERÓIS MAIS PODEROSOS DA MARVEL: Eram as capas vermelhas, com cada edição sendo focada em um personagem específico, até alguns que normalmente não tem tanta atenção, como Luke Cage e Mulher-Invisível. Também foi prolongada e ainda receberá novos volumes por muuuuito tempo. Tem saído um atrás do outro!

CLÁSSICOS: Esse foi MAIS UMA prolongação da primeira coleção! Ainda nas capas pretas, mas agora com as laudas em números romanos, eles estão nessa linha publicando clássicos antiquíssimos, da época em que quem era creditado pelos roteiros era o criador dos personagens, o Stan Lee! Não fizemos nenhuma resenha dessas pra esse round, mas acho capaz que tenha pro próximo.

DC COMICS COLEÇÃO DE GRAPHIC NOVELS: Essa é a versão da DC pela Eaglemoss, que chegou atrasadíssima. Começou muito legal, com ótimos títulos (bem garantidos também) do Batman e do Superman, o que por enquanto só se estendeu à Liga da Justiça e Lex Luthor, vamos ver como vai ficar quando vier outros materiais mais alternativos, como "Batgirl: Ano Um" ou "Arlequina". Eles foram os primeirões a colocar o preço de R$40,00 a partir da morte do Robin. Perderam ponto comigo, humpft. A Salvat tem um monte a mais que eles e ainda não chegou num preço tão alto. Uma curiosidade é que eles parecem estar querendo fazer como as duas linhas da Marvel, só que em uma só, colocando tanto estórias focadas em origens de personagens ou grupos específicos, quanto boas séries que não foram necessariamente "clássicas".

Claro que há outras coleções muito boas de encadernados, tanto da Marvel quanto da DC, mas essas foram as que escolhemos juntar pra esses pacotes de análises. E... como dá pra notar... acabamos nos atrasando. Então pra agilizar, esse não fui só eu que escrevi; da primeira coleção foram portadas algumas análises do Planeta Marvel/DC, que também escreve aqui, e não vai fazer muita diferença no formato, inclusive porque foi com esse estilo dele que eu resolvi começar esse tipo de post. O bom é que são todas excelentes estórias.


Esse vai envolver algumas análises que eu já coloquei no passado pra não ficar muito atrasado, mas claro que há inéditas também.

POSTS DE ANÁLISE ANTERIORES

ROUND 1: http://ozymandiasrealista.blogspot.com/2015/09/analise-colecao-salvat-da-marvel.html
ROUND 2: http://ozymandiasrealista.blogspot.com/2015/11/analise-colecao-salvat-da-marvel-round-2.html
ROUND 3: http://ozymandiasrealista.blogspot.com/2015/12/analise-colecao-de-encadernados-round-3.html
ALAN MOORE: http://ozymandiasrealista.blogspot.com.br/2016/01/analise-colecao-alan-moore.html

Eita, espero que não tenha ficado uma introdução muito grande. Bem... Vamos lá!





- A COLEÇÃO OFICIAL DE GRAPHIC NOVELS -




27.Capitão América: O Novo Pacto


"Terror é o ódio cego."

Trazido do Planeta Marvel/DC. Consequência direta dos ataques do 11 de setembro de 2002, a Marvel transfere o Capitão América para o selo Marvel Knights e o coloca n linha de frente de combate ao terrorismo. Uma pequena cidade americana, Centerville, é alvo do terrorista Al Tariq, cujo plano é atrair o Sentinela da Liberdade, que por fim, descobre que seu destino final é na Alemanha. Aqui vemos Steve Rogers muito mais reflexivo, ponderando sobre seu próprio status como patriota que sempre foi. Um herói que questiona (acredito que aqui foi lançado uma pequena base para o que seria o Capitão América em Guerra Civil, mas isso é outra história), que procura entender o significado das coisas e não apenas um soldado que obedece cegamente. Ao lidar com os atentados em Nova York, Steve incentiva o cidadão comum a não se vingar, mas diz que eles precisam ser melhores, ou o inimigo terá vencido. Interessante também a maneira como o escritor retratou o verdadeiro vilão por trás dos ataques de Al Tariq. Os desenhos de John Cassaday estão no seu auge, assim como estavam em Surpreendentes X-Men. enfatizando os detalhes.

Conclusão: Imperdível.

48.Quarteto Fantástico: O Fim


"O Quarteto Fantástico precisará se reunir - não só pelo bem da família, mas pela sobrevivência de toda a galáxia."

Trazido do Planeta Marvel/DC. Apesar de fazer parte de um futuro alternativo, Alan Davis escreveu essa estória de forma tão magnífica que poderia ser considerada oficialmente a última estória do Quarteto Fantástico. Uma trama aparentemente simples, mas com várias amarras e reviravoltas, além de várias subtramas que prendem o leitor para saber o desfecho. O Quarteto Fantástico prova que nasceu para aventuras épicas, basta saber explorar bem esse potencial, coisa que Alan Davis fez muito bem. Ele homenageou toda a mitologia do grupo, desde o desfile de vários personagens importantes - Doutor Destino, Alicia, Galactus, Surfista Prateado, Diablo, Toupeira, Pensador Louco, Inumanos, Krees, Skrulls, Namor, Pantera Negra, Aniquilador e a Zona Negativa, e todos com participações importantes na estória. Nem todos os heróis da Marvel tem à sua disposição tanto material interessante para ser bem desenvolvido quanto o Quarteto Fantástico. Além disso, Alan Davis retratou a personalidade de cada membro do grupo de forma que eles pudessem ser desenvolvidos dentro da própria trama em si, e destacou de forma brilhante, não só o lado familiar do Quarteto, mas o que eles, de fato são - amigos.

Conclusão: Leitura obrigatória

50.Guerra Civil


"Meu nome é Peter Parker, e eu sou o Homem-Aranha desde os quinze anos de idade."

Opinião praticamente unânime dos fãs de HQs que esse foi o melhor mega-evento de super-heróis nas últimas décadas. Graças a um combate entre jovens heróis e vilões que estava sendo gravado, todo o país vê o extermínio de crianças em uma escola. Chega o momento que o Homem de Ferro previa, quando o país os pressionaria e eles teriam que escolher se ficariam do lado de um registro de identidades secretas pelo governo ou contra. Você é pego de surpresa o tempo todo descobrindo se Capitão América, Homem de Ferro, Dr. Estranho, Demolidor e Sr. Fantástico são conservadores, ou liberais, ou indiferentes, ou rebeldes ou idealistas. Os personagens nunca haviam sido colocados dessa forma!


Todos os personagens mais influentes, como o Homem de Ferro, são vistos tendo que tomar escolhas muito difíceis, que vão além de bem e mal ou certo e errado. Uma estória tremendamente adulta e não por se utilizar de sexo ou violência, mas temas críveis e pertinentes. Apesar de muitos tie-ins terem marcado na época, você ainda pode se divertir muito lendo a parte central que foi escrita por Millar e justamente desenhada por Steve McNiven. Esse é meio difícil de achar na coleção Salvat, porque também foi lançado em outro encadernado, só que mais caro que os da Salvat.

Conclusão: Divisor de águas, imperdível



54.Eternos


"Os Eternos são imortais, dotados de poderes incalculáveis. Eles existem há milhares de anos. Já observaram civilizações surgirem e desaparecerem. Como é possível que ninguém se recorda deles?"

Trazido do Planeta Marvel/DC. Bilhões de anos atrás os Celestiais visitaram a Terra e a usaram como uma espécie de laboratório experimental criando assim os Deviantes, Humanos e Eternos. Um desses Eternos, insatisfeito, apagou a consciência de todos os outros usando o Celestial Sonhador. Dormentes, os Eternos viveram entre os humanos... até agora. Mas, o despertar dos Eterno também pode trazer terríveis consequências para a humanidade. Neil Gaiman traz uma trama que não chega ao mesmo nível em que estamos acostumados. Ele explora muito bem os personagens e os conceitos criados por Jack Kirby, mas nada tão complexo, o que é um ponto positivo para os leitores que não conhecem os Eternos ou não estão familiarizados com eles desde a década de 70. Além disso, Gaiman não desconsidera o que está acontecendo no Universo Marvel, pois estabelece essa história logo após os eventos de Guerra Civil, em que os heróis devem se registrar. Normalmente eu gosto dos desenhos do John Romita Jr, e achei que eles estavam em plena forma nessa série.

Conclusão: Vale a pena.

61.Vingadores Primordiais


"Asgard caiu."

Trazido do Planeta Marvel/DC. A Marvel estava prestes a adentrar em sua chamada Era Heroica e era preciso colocar tudo em panos limpos, principalmente depois dos incidentes envolvendo Steve e Tony depois de Guerra e da Invasão Secreta. Essa minissérie foi bem sucedida nesse quesito, visto que as situações em que os três amigos se encontraram foi propícia para a ocasião. Além disso, a trama não foi forçada e fluiu de maneira coerente. No geral, não é uma história grandiosa, mas uma bela história de três amigos ( no caso, três dos maiores Vingadores que já existiram) que conclui uma fase excelente dentro da cronologia do Universo Marvel.

Conclusão: Vale a pena por uma leitura descompromissada.


- OS HERÓIS MAIS PODEROSOS DA MARVEL -



8.Tocha Humana (Jim Hammond)


"Estou ciente de que você me deu vida. Mas não pode agora mudar de ideia e tomá-la de volta. Nem pode me dizer o que fazer com ela."

Pra quem não sabe, esse Tocha Humana foi o primeiro herói da Marvel, na época que ela ainda se chamava Timely. Aqui não vem trabalhos antiquíssimos, mas uma homenagem mais recente que foi feita ao personagem. Há muito morto, o roteiro se trata justamente do ciborgue sendo trazido de volta à realidade e tendo que lidar com isso. Conforme a ideia se desenrola, quem protagoniza a trama é o Centelha, antigo parceiro do Tocha Humana, e o vilão é o Pensador Louco. No início é bem chatinho, demora um pouco pra engatar, creio que por esses personagens serem bem sem-graça, principalmente o vilão, que é nada diferente de qualquer cientista louco. Mas quando o Tocha original retorna tudo fica mais interessante. As ilustrações são excelentes e a estória idealizada por Mike Carey junto de Alex Ross mostra um enredo novo que de forma sutil homenageia as aventuras antigas, com elementos como Namor e os nazistas, por exemplo. Apesar de algumas partes previsíveis, rola umas surpresas.

Conclusão: Vale a pena.


21.Valquíria


"Esta não será uma jornada agradável. A mensageira cantou algo sobre uma tropa maligna... de matança e podridão... de imundície e vermes... de trapaça e loucura... de tortura, sedução e... de ódio. Ela dizia que as Damas da Destruição estavam se erguendo. E dizia que a culpa era minha."

O roteiro é do Cullen Bunn, e o que mais me chama atenção nesse caso é que ele se trata do responsável pelo famoso "Deadpool Mata O Universo Marvel". Na trama a asgardiana Valquíria precisa cumprir a missão de erguer várias guerreiras da Terra para lutarem ao seu lado. A aventura vai contando com várias mulheres diferentes da Marvel, a maioria bem desconhecida, e o tom é humorístico, principalmente nas discussões entre as personagens que se focam em divergências culturais, como no primeiro filme dos Vingadores. É bem feito só que não chega a ser hilário. Se aproximando do fim começam a revelar a problemática pessoal da Valquíria, que é séria e mais interessante que o problema geral. Apesar do desenvolvimento fraco, o que mais me incomodou mesmo foi o final extremamente aberto. Fica muita coisa a ser terminada, o que é frustrante, já que não se tratando de um clássico, dificilmente publicarão a sequência em um novo encadernado.

Conclusão: Dispensável


22.Professor X


"As reações deles são tão... aleatórias... Seu ódio vem de muitas coisas... de raças, crenças e cores e até discordâncias quanto à moda!"

Os X-Men e o X-Factor tem que enfrentar um poderosíssimo inimigo que foi o primeiro que se colocou no caminho de Charles Xavier. Esse é o Rei das Sombras, um ser feito puramente de energia psíquica. As ilustrações são bem chamativas e coloridas, aquelas páginas que parecem ácidas. Eu particularmente vi como um problema o nível de loucura que fica quando começam as batalhas do Professor X ambientadas puramente no ambiente psíquico. Fica parecendo anime, nem sei com o que relacionar. O que é mais exagerado? Dragon Ball ou Final Fantasy? De qualquer forma, os desenhos são chamativos e a estória não é ruim não, só não achei tão impactante e definitivo quanto ao Professor X pra um encadernado com o nome dele.

Conclusão: Dispensável

23.Defensores


"Receio não ter entendido a referência."

Como já dá pra notar pela própria capa, é um volume todo humorístico. Apesar dos rostos esquisitos, principalmente o do Namor, os desenhos acabam não sendo tão ruins quanto parece e o design na verdade é muito bom. Como Dormammu se uniu à sua irmã para dominar a realidade, Dr. Estranho sai atrás dos membros originais dos Defensores para reuni-los. A comicidade se dá em nenhum dos personagens se darem bem; mas é insuportavelmente cansativo. Os textos são longos demais, a maior parte do tempo a estória é chata. Não demora muito pra que você não aguente mais as piadinhas da irmã do Dormammu, é tudo muito repetitivo. Outro fator negativo é alguns dos principais personagens como Hulk e Surfista Prateado não terem sido escritos de forma muito convincente. Parece mais alguma sátira de revistas ao estilo Mad, mas não uma boa comédia da Marvel como costumamos ver com o Deadpool.

Conclusão: É um porre.

25.Nick Fury


"Eu faço o que faço. O mundo é que mudou... Eu não. Nem um pouco."

Primeiramente há uma HQ bem antiga do Fury liderando soldados na Guerra, vindo depois "Agente do Nada", que se passa depois da "Invasão", naquela época da H.A.M.M.E.R. e o Reinado Sombrio. Nick Fury está escondido liderando um grupo particular de jovens agentes. Ele é mostrado como líder e aquele espírito de soldado fodão que já passou por muito. Apesar de se envolver com a falecida S.H.I.E.L.D. também, aqui o inimigo não é Norman Osborn, mas a H.Y.D.R.A. que tá sempre espreitando. É bem feito, mas uma leitura que não adiciona muito não. Se for fã do personagem tem várias homenagens à jornada dele, mas não chega a ser surpreendente como aquele "Pecado Original" que saiu nos últimos anos; pelo contrário. E tem aquele problema que eu já não gostei no caderno da Valquíria: final super aberto sem qualquer chance que publiquem a sequência. A parte legal é que o personagem é legal, por natureza mesmo, hehe.

Conclusão: Dispensável


26.Pantera Negra


"Senhor, as naves estão agora ao alcance."
"Então, vamos lhes dar as boas-vindas no bom e velho estilo wakandano."

O que achei sacanagem desse é que foi muito fino e continuou aquele preço de 36 reais. Bem... Há algumas curiosidades sobre esse volume. Primeiro que quase metade é dedicado à estória mais antiga em que T'Challa estreou na revista do Quarteto Fantástico, sendo até hoje o herói negro mais legal de todos. Depois vem "Conheça Wakanda e Morra", que é da época da invasão skrull. Possui um clima de guerra sem enrolações, que já começa parecendo um jogo de Batalha Naval. O que me surpreendeu foi como eles trabalharam bem o comandante skrull, há até partes em que a narrativa fica do lado dos aliens, com o herói Pantera sendo apresentado apenas como ameaça. A estória toda é do combate entre os skrulls e os wakandanos. Me lembrava "300", de Frank Miller, com as reflexões dos soldados na narração e os quadros cheios de poses de batalha.

Conclusão: Interessante e divertido.




- DC COMICS COLEÇÃO DE GRAPHIC NOVELS -



3.Superman: O Último Filho


"Você é o último filho da Casa de El."

Sem muita introdução, chega um meteoro em Metrópolis que se revela uma nave de fuga. Dentro dela há um menininho pelado e sem recordações do passado. Além de ter a linguagem de Krypton, a sua estrutura biológica bate com a do Superman. O título de "O Último Filho" não foi colocado por nada. Na verdade a ideia de paternidade é explorada a estória toda por diferentes ângulos. Até terminar aparecem grande parte dos principais personagens do universo do herói; sejam parceiros, coadjuvantes ou inimigos. A arte apesar de não chamar atenção por beleza ou detalhismo é muito competente no que se trata de narrativa; atenção especial pra duas páginas inteiras em que todos os quadros só mostram Superman e Lex Luthor discutindo. Depois há uma estória extra que foi publicada na época e a primeira de todas as estórias do Superman.

Conclusão: Vale a pena


8.Superman: O Homem de Aço


"Sempre que a humanidade precisar de um tipo especial de auxílio que posso prestar, não vai mais ser um trabalho para o simples e mundano Clark Kent... será sempre um trabalho para o Superman!"

Aqui o volume todo é a origem básica do Superman que todo mundo já conhece, aliás, foi quando Byrne redefiniu o personagem. A diferença entre aqui e o que todo mundo já conhece é que não chega a se desenvolver um conflito maior e marcante contra Lex Luthor ou General Zod, como nos filmes. São estórias mensais bem simples que visavam estabelecer o Superman em uma reformulação, muitas vezes focando nas relações sociais dele com Lex Luthor, Lois Lane e companhia (que tem iniciais de L no nome) ilimitada. Mostra os primeiros encontros de Superman/Clark Kent com várias situações, até se levantam reflexões bem interessantes, mas é sempre de forma simples, com exceção do final que é mais impactante. É o oposto daquele do Namor das capas vermelhas (do mesmo autor), que começava muito bom mas decepcionava no final. Não é avassalador como as origens do Batman e do Demolidor escritas pelo Frank Miller, mas no que se trata das estórias do Superman é o que tem de melhor, só não vai muito pra frente nesse volume.

Conclusão: Eficiente, mas bem básico.



E é isso aí. Acho que o timing não foi o melhor... Mesmo sendo feriado imagino que esses dias todo mundo só vai estar procurando textos de Batman V Superman e da série do Demolidor... Eu tava pensando em colocar uma foto do Lula com a Dilma pra chamar mais atenção, mas aquele desenho do Bizarro tava bem melhor... hahaha! Mas bem, paciência! Fica como um respiro então! Lembrando que deve rolar ROUND 5 sim, mas tem um outro bem especial que estamos preparando pro mês que vem que haverá o filme da "Guerra Civil", talvez este saia primeiro. Até lá, irmãozinhos.

Até lá...


Nenhum comentário:

Postar um comentário