.

Pesquisar este blog

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Deadpool não é o melhor filme do mundo


Apesar da imensa popularidade do personagem, o longa do Deadpool nunca foi uma coisa tão óbvia e obrigatória quanto pode parecer. Fazia já cerca de dez anos que o ator Ryan Reynolds havia chegado com a ideia de estrelar um filme do personagem e cá estamos... Fevereiro de 2016. Em 2009 o cara conseguiu viver Wade Wilson em "X-Men Origens: Wolverine", mas o destino foi cruel e aquele Deadpool parecia um monstro a la Resident Evil somado a habilidades de raio lasers e teleporte. Até hoje tenho que ouvir neguinho que acha que sabe mais que eu vim falar que o Deadpool tem raio laser. Grrr...


Aparentemente, Wade havia ido para o cárcere das grandes ideias literárias destruídas no mundo do cinema. Coitadinho... Pelo menos tinha companhia... Mas eis que sendo safadinhos, deixaram vazar   na Internet uma das primeiras sequências do filme que se mostrou divertidíssima, com o Renegado Degenerado socando carinhas dentro de um carro. A sequência era genial, todo o público demonstrou aprovação, apertando a Fox para abrir o caminho. Um dos problemas era a faixa etária do filme, já que o estúdio temia não ser lucrativo lançar um filme de personagem de quadrinhos censurado para maiores de idade. Com o fracasso total e absoluto do filme do Quarteto Fantástico, eles liberaram tudo e a faixa etária para maiores de idade se tornou até notícia.


Bem, terminando minha introdução; enquanto os X-Men tão indo pro centésimo filme na Fox, a DC está a um mês de despertar da sua hibernação maldita e a Marvel Studius colocou até o Homem-Formiga em um filme de sucesso... Não há qualquer sinal positivo de que produzirão um terceiro Hellboy. Pois é. Sem Hellboy 3, gente. Mas até Deadpool teve, o bendito Deadpool. Não podia faltar meu xororô, já fazia tempo. Agora vamos lá.................


Ryan Reynolds retorna como o mutante mais insano de todos os tempos. Como já comentei, aquela sequência de ação na rua é logo no início do filme, então não há algo novo logo de cara. Porém, o que é visto nessa cena progride, as cenas de luta são todas bem montadas até o final, sendo intensas e criativamente cômicas. É feito de uma forma que não poderia nos divertir nos quadrinhos, eles usam a velocidade e a falta dela ao favor do humor nas chacinas. Há um probleminha na estória que eu queria deixar pra falar depois, mas ele se apresenta logo no início.


Eles fizeram a única coisa possível que eu queria que não fizessem. Eles ficaram contando estória de origem! Claro que não iam pular isso completamente, mas eu temia que pudesse ficar chato e realmente ficou. Bem, além de chegar na metade do filme eles ainda estarem discutindo como o cara se tornou um mutante, tudo que acontece na trama é simplesmente sobre isso. Como nas HQs, Wilson descobre ter um câncer nocivo e com isso aceita fazer um "tratamento" que na verdade é um experimento obscuro. O problema é que a partir disso (que já dura mais tempo do que deveria) o enredo se trata do mercenário indo atrás de vingança contra Ajax, o cientista que o tornou assim, vingança alimentada pela possibilidade desse deixá-lo normal novamente. E temos aí mais um enorme problema porque Ajax é um vilão chatíssimo.


Parece até que a Marvel foi AMALDIÇOADA por aquele Mandarim do último Homem de Ferro, meu Deus do céu! Não sai UM vilão que preste!!!! Só nas séries da Netflix mesmo, com o Rei do Crime e o Kilgrave, que aliás, foram tão desenvolvidos quanto os heróis, mas nos filmes... O último filme de herói com um vilão que eu curti foi o do Superman com o General Zod. O Malekith do Thor foi tão inexpressivo quanto daria pra ser. O Ultron dava pra identificar diversos pontos interessantes do personagem, mas a estória acabou bagunçada demais. O do Homem-Formiga talvez tenha sido o pior, o Barão Zemo acho que nem vai conseguir ter tempo de aparição na Guerra Civil, com tanto personagem...

Foram zuar o Mandarim, pegaram a maldição do Mandarim.

Tudo bem que no caso da Disney eles não tem poder sobre muito cara legal, como Magneto, Mística, Venom, Galactus e Dr. Destino, mas sai fora! Tá ruim demais!


Enfim, sendo o enredo sobre vingança contra o cara que o fez virar o Deadpool, a estória toda acaba sendo muito chata e previsível. Diacho, é óbvio que no primeiro filme do Deadpool ele não vai pegar e deixar de ser o Deadpool! Sinceramente, não tinha como funcionar, na minha visão. Não é um personagem com algo como "Batman: Ano Um", "Wolverine: Arma X" ou "Hellboy: Sementes da Destruição". Ele é levado pra um experimento de laboratório e se ferra todo, não tem muito segredo. Infelizmente não deu outra. E o vilão Ajax é um erro total. Não há uma cena com ele que compense o tempo. Por outro lado eles investiram bastante no Deadpool que não cala a boca o tempo todo, merecendo o título de Mercenário Tagarela. O protagonista acaba dando uma compensada. Wade não para de gritar e fazer piadinhas, não seria precipitado dizer que chega a cansar, mas ele também não deixa de ser um personagem irritante.


Apesar do vilão lamentável, o trabalho de adaptação não foi só admirável com Wade! Alguns ícones das HQs como Al Cega e até o pobre Bob fazem aparições muito divertidas (e é claro, o Stan Lee). Não são iguais à HQ, mas ficou engraçado. Também têm alguns dos mais divertidos: os X-Men!


Tranquilamente, as sequências que eu mais curti foram as que envolviam o Colossus (pura CG pelo visto) e a menininha novata... Megasonic Teenage Warhead (piadinhas com o nome? Lógico). O Colossus está forçado meio fora de sua caracterização comum, mas ficou bem divertido com o contexto e a forma que queriam colocá-lo no filme, tentando dar lições de moral nada eficientes no nosso protagonista Deadpool (e também deixaram ele GIGANTE). No início fica claro que se tivessem investido mais nisso do que na PORRA da estórinha de MERDA de origem teríamos visto um desenvolvimento bem mais divertido. Afinal, mesmo sendo o primeiro filme, todo mundo sabe quem é o maldito Deadpool hoje em dia.


Há todas as piadinhas obrigatórias que quebram a quarta parede, como já havia sido visto no próprio trailer, tira-se sarro até com o péssimo filme do Lanterna Verde, estrelado pelo ator Reynolds. Sinceramente, não senti muito o clima das HQs. Claro que há várias e são diferentes, mas de todas as que eu li, sentia um humor bem cartunesco, estilo desenho animado. Ao menos nas mais recentes, que tem feito sucesso pra caramba. Claro que havia toda a preocupação com a censura, não tô me fazendo de sonso, mas eu pensava que ia ser pela violência, não me lembro de alguma HQ que fosse tão ofensiva como muitas das piadas do filme, que envolvem até pedofilia familiar. Claro que haviam indiretas de cunho sexual, mas porra, estupro? No máximo lembro de aparecer umas mulheres gostosas no naipe de filme pornô, talvez irritasse feministas, mas lembro que isso acabava servindo pra zuar mais o Wade, que só levava fora. Por exemplo: o nu frontal é usado no filme, mas na minha opinião ficou mais pra apelar; quando aparece um monte de mulher pelada é porque eles estão em um puteiro, sabe? Não tem a ver com nonsense.


Na real, tirando a violência de tripas, decapitações e decepações, o humor das HQs me lembrava coisas de animações juvenis nonsense, eu queria ver como ia ficar no filme e os personagens ficaram bons, mas não me senti tão convencido pelo tom. É fooooooooooooda explicar porque ele fala com a tela o tempo todo, mas deixa eu ver. Nas HQs você se surpreende porque as loucuras são cada vez maiores, exatamente o oposto do filme. A trama foi, como eu já disse, limitadíssima. Pega uma das HQs mais famosas dele, por exemplo, quando ele sai em guerra contra os ex-presidentes dos EUA ressuscitados como zumbis malignos. A encarregada da S.H.I.E.L.D. explica que precisam do Wade para a missão pois não cai bem aparecer heróis como o Capitão América batendo nos presidentes da pátria nos jornais pela manhã. Cara, eram sacadas tão boas. Tem coisa que eu li em gibi dele que nunca mais esqueci.


Aproveitar que é imortal pra ter uma overdose alimentar, entrar em depressão porque não morre nunca, ser ingênuo ao ponto de considerar que são seus amigos todos os membros da equipe anti-Deadpool. São aquelas insanidades sem sentido, mas que dentro daquele contexto da estória que é insano e sem-sentido, eles vão fazendo toda uma ordem (i)lógica de explicações, e aí você entende justamente por ter nada a ver. É uma inteligência estúpida. E isso não está relacionado ao personagem, que serve perfeitamente pra esse tipo de estória, mas à própria estória! E nesse caso... foi uma estória muito ruim, então indo direto ao assunto, eu me senti decepcionado.

Por aí





Conclusão (BOO-YAH!!!!)


A recepção do filme está sendo extremamente positiva, uma sequência parece ser altamente provável (e deve contar com Cable e um namoradO pro Deadpool). Claro que todas essas coisas que me incomodaram não devem afetar nadinha a maior parte dos fãs do personagem que conheceram ele... sei lá eu aonde. Na Internet, provavelmente. Quanto a ser o melhor filme da Marvel, aí me poupe, né? Eu sei que há sempre a empolgação do lançamento, mas só não me choco com isso mesmo porque acompanhei a recepção do último Star Wars há menos de dois meses. Eu não colocaria Deadpool num top 15.

"Diga que o Jar Jar Binks é uma abominação. Diga!"

O Deadpool foi trazido ao cinema, sim, mas está beeeem longe de ter passado pela sua melhor aventura. Há cenas bem divertidas, como as com os X-Men que faço questão de mencionar de novo, mas a trama é decepcionante demais, mesmo dando pra notar compromisso na parte de adaptação. Como no último Star Wars, deu pra notar que nada é mostrado no trailer porque meio que realmente rola nada no filme. Algo que não falhou foram as constantes referências culturais do personagem, falando de filmes pop ou estrelas de TV, ficou bem divertidinho. Mas das quebras da quarta parede eu esperava mais levando em consideração que era o Deadpool e tinha toda essa expectativa (ele já matou todo o Universo Marvel por ter sacado que tava em uma HQ...). Sei que vai soar super pesado, mas me entretém bem mais a forma que foi feito em "A Nova Onda do Imperador", mesmo sendo um exemplo antigo.


Pode parecer uma comparação sem cabimento, mas como eu já disse, as HQs do Deadpool me divertem bastante com esse humor juvenil que me lembra animações nonsense. A parte do 18+ costuma se dar com a violência. Inclusive, o que me divertiu mais foram os contrastes nas cenas que os heróis querem convencer o Wade a andar no lado certo, típico dessas animações com humor negro (Shrek, Billy&Mandy...). Já faz uns anos que defino Wade como o looney tune da Marvel; vale lembrar que algumas animações são bem violentas como Tom&Jerry e Pernalonga. Bem, eles puxaram pra outro lado. Foi divertido, mas não era o que eu queria não. Houve bastante coisa da hora, tipo, dá pra listar as cenas legais de boa, mas colocando na balança eu saí decepcionado. O roteiro pesa muito pra mim.


Fim. Acabou. Agora vamos passar uns slides do mal relembrando alguns vilões da Marvel... Vamos lá, amigos, vamos lá.



Esse aí acabou decepcionando, mas era legal o que ele falava no trailer. "If you can make God bleed, people will stop to believe him. There will be blood on the water... and the sharks will come." Cara, o trailer do Homem de Ferro 2 me marcou mais que o filme... -_-

Olha só, eram mó bem trabalhados, carismáticos!

Caracterizações tão boas!


AH NÃO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário