Pesquisar este blog

smc

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Todo mundo fica com raiva quando percebe que é um imbecil


Acontece com todo mundo.

Uma ou outra pessoa ficará serena e agradecida pelo conhecimento ao notar sua própria falha.

Mas a maior parte das vezes ela fica com raiva. Inclusive quando ela vai fazer uma prova longa e tortuosa chamada ENEM e nota como seus argumentos são imbecis. Ela já não pode mais defender a própria imbecilidade pois isso agora pode impedir que ela entre numa faculdade; o que provavelmente tem sido visto como a prioridade máxima dela em todos os seus dias.



É claro que irrita a muitos, mas uma coisa é você ser um Zé Ninguém e sair alegando como pessoas do sexo feminino merecem apanhar ou coisa pior que eu nem gosto de escrever. E aí se arranja qualquer desculpa (roupas e afins). É tão comum... defender a própria ignorância e violência, se orgulhar dela como se fosse um time ou uma nação a qual você pertence, maior que qualquer outra coisa, podendo justificar qualquer ação por causa disso. Agora...

Ops!

Quando eu escrevo essas coisas, numa folha de papel-- aliás! Creio que antes mesmo de escrever... parece meio estúpido, não parece? E aí é automático. Você não quer olhar pro caminho que isso vai levar porque, bem... ele te dá raiva. Você ia escrever coisas estúpidas, você é estúpido, você já tem sido estúpido há quanto tempo? Oh! Maldita prova de vestibular! Então! Nesse estado de raiva você ainda é fiel e procura continuar defendendo o seu time. Qual time? O dos seres que não merecem levar porrada? NÃO! Eu sou contra esse time! Eu prefiro o MEU time e não vou mudar! Então, para os que não acompanharam vou atualizá-los...


RESUMO DAS REAÇÕES À PROVA DO ENEM OBSERVADOS NA INTERNET
Obs.: Eu particularmente não tenho qualquer laço afetivo com o ENEM e pretendo não entrar em contato com ele novamente.

As feministas obviamente ficaram felizes que uma questão e o tema da redação envolviam injustiça com o sexo feminino. E aí vem os loco. A prova foi julgada por muitos como uma forma de doutrinação política social. Por causa dessas questões aí que eu mencionei. Pelo o que eu ouvi falar foram só duas. Vieram também os que disseram se tratar de uma prova esquerdista (não podia faltar uma dessas, não é mesmo?). Bem, não vou falar minha opinião, vamos falar sobre fatos.

A agressão à mulher não chega sequer a ser uma questão de ideologia feminista. É uma questão social; e firulando um pouco dá pra dizer que é até uma questão da humanidade. Você pode discutir isso pertencendo ao movimento feminista se você quiser, mas é uma violência, e se ofender com a proposta de que ela entre em pauta de forma tão simples como "A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira" é  pelo menos assustador, como dizem os mais decentes. Agora, saindo dos fatos à minha opinião, toda essa ideologia radical e violenta não assusta por nada, simplesmente pela ofensa. Ela mostra que apesar do falso estado civilizado, tá todo mundo pronto pra levantar a mão e... meter o louco. Se é que você me entende...


E vamos rapidamente ao outro exemplo, uma questão envolvendo Simone de Beauvoir, uma escritora feminista das antigas. Aí os loco pira de uma vez. Meu Deus! Então se tivesse um texto sobre o Hitler seria uma prova nazista? Não deveria se discutir o (considerado) maior vilão da História moderna? Olhe aonde chega o nível de radicalismo e alucinação! Se a prova tivesse uma passagem da Bíblia pra interpretar em algum lugar de português ela já seria automaticamente uma prova católica, ou protestante, ou contra mulheres, negros, índios, conhecimento, carne vermelha, tatuagem, aborto, Harry Potter, preservativos, senso crítico e pílula do dia seguinte???


As pessoas realmente continuam não se importando (nem um pouquinho) de alegarem que seus cérebros são um bagulho neutro sujeito a alterações sob qualquer influência que seria, aparentemente, absorvida por osmose; de forma que qualquer ideia diferente se torna um grande perigo. Então revelam seus lados internos de lobo/vilão da Marvel, da Disney; solta os cachorros e destrói tudo que te incomoda. Não ouve direito o que diz, não critica qualquer coisa, essa grande massa arrogante com o dedo tremendo no gatilho da metralhadora giratória. Eu gosto de metralhadoras giratórias... Fiquei satisfeito com essa metáfora, vou terminar aqui. Essa foi a dose do titio pra segunda feira, molecada. Ouçam Judas Priest. Judas Priest é muito bom, eu também gosto de Judas Priest.

Nenhum comentário:

Postar um comentário