sábado, 30 de maio de 2015

Não assista o clipe de Praise Abort?

"I hate my life
And I hate you!
I hate my wife
And her boyfriend too!


I hate to hate
And I hate that
I hate my life so very bad
I hate my kids
Never saw that...
I praise abort!"

Enquanto o Rammstein não lança um álbum novo desde 2009, deixaram seu vocalista insano fugir da cela. Creio que a maioria deve me conhecer com a boa propaganda que Ozymandias faz de mim já há um bom tempo, mas de qualquer forma, sou Douglas Joker, e hoje me encontro em um dilema se mesmo estando na minha cabeça devo apresentar essa música para as pessoas. Por isso eu digo: NÃO ASSISTA! É uma música sobre aborto completamente perturbadora. E meu chapa, pra eu ficar assustado é porque deve ser assustador (de acordo com a minha experiência de vida tendo como ídolos Coringa e Alice Cooper...).




Assistir esse clipe me trouxe uma série de reflexões. Eu pensei... hora de voltar a registrar. Esse homem gigantesco e assustador já trabalha com arte há mais de 20 anos, mas o mais notável é sua banda Rammstein; que além da sonoridade única com vocais em alemão e heavy metal pesadíssimo com bastante liberdade alternativa, possui letras bizarras! Eles passam por todos os pontos, descrevem acidentes aéreos, paixões profundas, desejos de estupro ou até mesmo o drama de um ser gerado artificialmente em laboratório que desconhece sua função no mundo, sendo familiar apenas com o desejo de vingança (que nem Frankenstein e Liquid Snake). Eu (Douglas Joker) em particular, me encontro em um período bem chato com entretenimento. Primeiro que estou demonstrando sintomas de velho clamando como tudo na minha época era melhor ou mais original. Segundo que quase nada levanta minha atenção ou ansiedade, mesmo quando se trata de coisas que eu sempre curti muito, como filmes de super-heróis, tenho andado cada vez mais entediado. Gosto de quase nenhuma banda que surgiu na última década e esse ano o primeiro filme que me agradou foi o recente "Mad Max: Estrada da Fúria", meio que o filme de ação que esperávamos a vida inteira mesmo sem saber. Mas isso fica pra outro post.


Eis que sexta-feira de manhã me deparo com o primeiro clipe da carreira solo do artista que acompanho que tem maior índice de conhecidos meus que declaram ter medo (até minha mãe). O conceito do álbum "Skills in Pills", que não deve demorar pra lançar, é justamente a hipocrisia da sociedade moderna, a música "Praise Abort" fala então sobre a polêmica operação de aborto. Irônico o alemão sempre foi, mas ouvir o que ele fala agora em inglês soa bem incômodo para os ouvidos.

"I like to fuck
But no french letter
Cause without kids
Life is so much better!"

Antes da primeira música (que fechará o CD) ser liberada, Till já havia comentado sobre isso:

"Nós realmente não queremos ser desagradáveis, provocativos ou insultantes. Esta é a primeira vez que os falantes de inglês poderão entender as minhas letras, o que é geralmente impossível no Rammstein. É muito sexual, mas isso é o que eu tenho feito no Rammstein por vinte anos, mas só que ninguém entende! Agora eles irão investigar as minhas letras em alemão, e depois pensar: 'O que diabos ele está fazendo?!'".

Já fazendo mais de um dia que essa música foi lançada, devo dizer que minha reação foi a mesma que costumo ter com os trabalhos do Rammstein. Ao princípio estranhei e fiquei enojado a um ponto quase de ofensa, de tão diferente e sujo que é. Mas essa sensação foi tão forte que depois não resisti a ouvir de novo, e agora já ouvi várias vezes! Exatamente como sempre aconteceu com Rammstein (que começarão a trabalhar em um novo álbum no final do ano, para ver se o lançam em 2017). Bem, conclusão...


Till pode ser um maluco doente, mas esse clipe foi completamente inesperado e me deu aquela "mexida" que ultimamente quase nada na arte tem tido coragem de fazer, sempre com suas ideias previsíveis que parecem ter medo de sair da zona de conforto. Dessa forma, por mais horrível que tenha sido, acabei achando "Praise Abort" inspirador. E olha que eu nunca curto essas coisas que são violentas graficamente. Também vale lembrar como o soar dessas coisas malucas e inesperadas sendo ditas nos lembram como, por mais que tentem nos convencer do contrário, somos livres para expressar o que quisermos, mesmo que seja diferente. Um bom lugar se você quiser conhecer mais das polêmicas músicas do Rammstein é o post do link abaixo:

http://douglasjoker.blogspot.com.br/2013/06/top-10-musicas-polemicas-do-rammstein.html

OBS.: Esse clipe já está com quase 800.000 views no Youtube, em apenas um dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário