Pesquisar este blog

smc

quinta-feira, 16 de abril de 2015

QUANDO EU DIGO QUE MORO EM GOTHAM...


As pessoas não acreditam. “Gotham é fictícia cara, é muito absurda para existir”, mas na minha cidade, os índices de criminalidade, analfabetismo e mesmo situações das mais absurdas quase todos os dias, só faz com que eu me lembre de Gotham. Não, aqui não tem nenhum palhaço terrorista, ou vigilante que se torna uma lenda, mas é tão absurdo quanto. Esse post é só mais uma historinhas das coisas que acontecem semelhantes ao “projétil de Calibre 12”;

ENTENDENDO PARA PODER CRITICAR

Houve um tempo em que eu odiava irracionalmente os evangélicos. Não queria ouvir sobre eles, ter eles perto e por ai vai. Mas ai eu era jovem, tinha uns 13 anos, e aprendia com a minha avó (um exemplo de pessoa, porém intolerante com algumas coisas, de certo modo ela ainda é uma grande referência de comportamento e caráter para mim, se não a maior) detestava evangélicos. Sempre foi católica e não os tolerava, nem mesmo escutava o que eles vinham dizer quando batiam de porta em porta para pregar. Eu tinha uma visão muito unidimensional da coisa, por só ter conhecido falsos evangélicos, ou seja, sociopatas que não tem consciência mínima do mal alheio que causam, e acham que Deus já tem um lugar marcado para elas no céu. Um exemplo são aqueles que constroem um local de culto, e ao invés de ficar com aquilo de modo tranqüilo, faz questão de estrondar com caixas de som, perturbando a ordem local da rua toda. Não RACIOCINANDO que ali tem idosos, crianças de colo e trabalhadores que dormem cedo, pois acordam entre as 4 e 6 do outro dia. Mas ai um belo dia, em um dos meus primeiros empregos, eu tomei conta de uma loja de produtos evangélicos. CDs e DVDs. Tudo pirata, mas quem ai nunca comprou nada pirata, certo? Eu tinha 13 anos. Pensei que eles fossem tirar o meu couro lá, mas para a minha surpresa, conheci boas pessoas, respeitosas, muitas nem se importavam se eu tinha religião ou não, só aconselhava para nunca usar drogas, me prostituir, roubar ou matar. Muitos até que diziam isso, davam o seu “testemunho” de como fizeram tudo isso há anos atrás, e como a igreja mudou a vida deles. Foi ai que vi o outro lado da coisa, a função educativa, acolhedora que a igreja tem sobre a sociedade, independente da religião. Cheguei até a ir durante quatro meses para a igreja evangélica, assistia pregações de pastores como Silas Malafaia ou Marcos Feliciano quase diariamente. E de música, eu entendia bastante nesse tempo, gostava de escutar Marcos Antônio, J Neto, Shirley Carvalhaes, Lázaro, Dj Alpiste e por ai vai. Entrei mesmo no mundo deles, para ter certeza se realmente eu não concordava, e no final, sim, eu não concordava, justamente pela parcela massiva de sociopatas envolvidos, embora eu respeite de coração verdadeiros evangélicos, esses sim fazem diferença no mundo, embora sua parcela seja ínfima.

BANALIZAÇÃO DO EVANGELISMO



Até ai, acho que por 2007, estava até tudo “tranquilo”, o que ocorreu a seguir foi o que eu chamo de “banalização do evangelhismo”, em boa parte, infelizmente pelos evangélicos. Não sei de quem partiu essa ideia, mas o que se sucedeu foi que houve um processo de massificação dos evangélicos, e como eles atingiram isso? Misturando tudo e ainda e aumentando o complexo de superioridade deles. O Gospel, deixou de ser uma espécie de MPB envolvendo temas cristão e foi para o lado da eletrônica, funk, sertanejo, forró (é sério, pesquise) e muitas “sedes” focaram no público mais vulnerável a se convencer rápido: os jovens. Fui algumas vezes em uma dessas arenas, que funcionam aos sábados, e todos os cultos que pregavam uma vida honrada, foram simplificados em baladas, com direito a rodinhas, trenzinhos e tudo o mais. “Ah Ozzy, os caras estão tirando os jovens das ruas, além de estarem ensinando algo”, agradeço o seu positivismo, mas nas vezes que eu fui, coincidentemente o que eu vi foi festa por festa, com a Bispa fazendo citando poucos trechos da bíblia, e o que os que citavam, deixava alguma coisa no ar, até salvei, eram algo como:

1.  Deus quer algo que você tem.
2.  Guarde o que se tem para a pessoa certa.
3.  Deus me alimenta no deserto.

Os jovens ficam por ai arrecadando, a as sedes que começam como uma pequena garagem, logo tomam quase todo o quarteirão. Nisso vão se abrindo outras e outras, a própria Bispa disse algo como “Pessoal, vamos nos movimentar, para a próxima sede abrir, vou contar com o esforço de vocês”, A BISPA. Não sou eu, ela mesmo dizia assim explicitamente.


COMPLEXO DE SUPERIORIDADE


Como assim? Eles são superiores? Não são, mas acham que são. Qualquer coisa fora do mundo deles, é considerado “do mundo”, que pode-se traduzir como: vulgar, obsceno, impróprio, inadequado. Um exemplo simples e bem conhecido: próprios desenhados animados. Até mesmo no Simpson há uma piada com esse tipo de comportamento, que é o Flanders, vizinho do Homer. Infelizmente, aquilo é cada vez mais comum. Lembro que tinha um episódio dos Simpsons, em que Homer tirava um giz de dentro do cérebro, e descobria ter raciocínio de um gênio. Uma das coisas que ele fazia era escrever em papeis sobre o “por que Deus não existia” e sair distribuindo entre carros. Flanders lia, concordava, mas mesmo assim saia tirando os papeis. Piada excelente que retrata o comportamento cego que o ser humano por ter. O complexo se amplia, quando o comparecimento é pontual todos os Domingos, a cordialidade entre os seus é impecável e o dízimo pago em dia. Isso faz com que esse indivíduo, se ache realmente destacado, ao ponto de ter uma vista grossa para a maioria de seus atos. O mesmo que no Domingo doou roupas que ia jogar fora e avisou a todo mundo que fez isso, fora dali passa com nojo de qualquer mendigo, fica apático. Que foi cordial com todos na igreja, mas odeia pessoas, gosta de atingir elas, sabotar elas e por ai vai, e não se percebe disso. Pratica atos corruptos e, no entanto diz “me perdoe meu Deus” quando se tocam...


DEUS ESTÁ COMIGO, TODO O RESTO ESTÁ REPREENDIDO


Toda essa “introdução” nos leva ao dia de ontem, como eu citei no começo, dos absurdos da cidade. A principal avenida da cidade é um constante alvo para qualquer baderna, já que provocando um congestionamento em pontos chaves nela, praticamente boa parte da cidade é afetada. Estou eu lá no ônibus, lendo tranquilamente o meu “Mercenário – Anatomia d eu Assassino” quando percebo que há mais de uma hora que o ônibus não sai do lugar. Já esperava que fosse outro protesto quando vi a fila apocalíptica de ônibus. Mas decidi ser calmo dessa vez, eu tava sentado, tinha acabado de comprar quadrinhos, então estava controlado. Só que chegou um momento em que não deu mais para ignorar a situação, o calor cada vez mais ofensivo, barulho por todos os lados, que porra é essa que ta acontecendo? Após esperar mais, decidi descer do ônibus e ir conferir o que estavam falando sobre tudo ter sido bloqueado por causa do lançamento de UMA IGREJA. Como assim uma igreja parar o trânsito da cidade? É quando uma senhora no banco de trás ao meu, assistindo ao telejornal pelo celular, informa que a quantidade de pessoas na igreja era exorbitante, que muitos “fiéis” que foram na igreja estacionaram carros e até mesmo ônibus na passarela em que passa os coletivos, que lá estavam os Bombeiros, Polícia Militar, imprensa e o Sistema Municipal de Trânsito.

PERCEBE AONDE ENTRA AINDA MAIS SOCIOPATIA?


Eu como organizador, faço uma coisa totalmente sem organização, só penso em lucrar e aparecer, e não consigo comportar todo mundo. Para todo mundo que está do lado de fora, eu mando colocar um telão.

Eu como fiel, não me importo com o direito de ir e vir das pessoas. Se eles discordam, é porque estão indo contra a minha fé, se vão contra a mim fé é porque estão com o inimigo, traduza-se Lúcifer.

Eu como um fiel com mais recursos, não me importo em ter que procurar um estacionamento para colocar meu automóvel. Vou colocar ele ali obstruindo tudo mesmo, que se foda tudo, porque “Meu Deus está comigo”.

Eu como fiel mal educado, não obstante a tudo o que eu fiz, vou sujar a rua toda, para os garis, que devem ser uns cornos desocupados, terem que trabalhar quatro vezes mais sem ganhar nem o dobro.

Aí ficamos nisso, quase ninguém liga. Não audiência. Agora se alguém se indigna e passa-se por cima de vários, alguém tivesse infarto no trânsito, ou mesmo tivesse alguma falha e a igreja pegasse fogo, com toda aquela multidão presa lá dentro por uma multidão lá fora, presa por uma multidão em carros... Aí sim seria notícia nacional, com direito a aparecer no Fantástico, virar a febre de discussão do momento e situações assim seriam evitadas e punidas. Brasil. O link com uma reportagem, o vídeo dá uma ideia da dimensão.




Um comentário:

  1. Ao lermos a biblia de Gênesis a Apocalipse, tanto a versão católica como a evangélica, notamos que toda essa narrativa e outros escândalos estão lá desde que o mundo é mundo. No céu houve podridão , Satanás veio de lá.
    Não dá pra esperar algo melhor do homem.
    Deus ainda espera.
    Os "ruins "estão lá nos altares simplesmente porque os bons desistiram.
    Antes que as rochas clamem, os "ruins "o farão.
    Se Deus te mostrou essas coisas ruins e vc não se contaminou, há um propósito de Deus.
    Quando questionava tais coisas Deus me disse que o motivo dele me mostrar estas coisas que era pra mim não cometer os mesmos erros quando fosse a minha vez.
    Fica em paz abençoado pois a justiça vem de Deus.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...