domingo, 28 de dezembro de 2014

Os Melhores Filmes de 2014


De jeito nenhum o ano estaria completo sem esse tipo de lista polêmica que sempre faz os leitores xingarem o redator de tudo quanto é nome e questionarem-no acerca da sua sanidade mental. Eram para ser os dez melhores, mas daí coisas relevantes acabariam ficando de fora, assim optamos por fazer um Top 15. Vamos então aos premiados, começando de trás pra frente que fica muito mais legal, fala a verdade.

15° lugar: Malévola. Uma superprodução da Disney protagonizada por Angelina Jolie com uma releitura de um conto clássico ambientado num mágico mundo medieval. Em uma palavra: Bonito.

14° lugar: O Espetacular Homem-Aranha 2 - A Ameaça de Electro. Peter Parker é o incompreendido lançador de teias visto como herói por uns e como uma ameaça por outros e a Sony captou perfeitamente esse espírito fazendo um filme igualmente polarizador. Em uma palavra: Divertido.

13° lugar: Boyhood - Momentos de uma Vida. Tem cara de filme europeu, você vai achar que é cinema europeu, mas pasme, é americano, corajosamente seguindo uma linha não comercial. Acompanhe a vida de um garoto dos 6 aos 18 anos, sem trocar os atores, o diretor esperou 12 anos pra poder filmar tudo. Em uma palavra: Humano.

12° lugar: Frozen Uma Aventura Congelante. O projeto de adaptar para uma animação o conto Uma Rainha do Gelo ficou emperrado por tantos anos que todo mundo achava que não iria mais sair. Todavia, quando a Disney conseguiu fazer acontecer, o resultado foi de encher os olhos. Em uma palavra: Cativante.

11° lugar: Capitão América - O Soldado Invernal. Chris Evans volta e os irmãos russo também voltam, mas o filme não é nada da sequência que você poderia esperar baseado no primeiro, ou em Vingadores, a coisa toda parece mais um James Bond com toques Marvel, inesperado porém interessante. Em uma palavra: Instigante.

10° lugar: Os Cavaleiros do Zodíaco - A Lenda do Santuário. Fazer releitura de um clássico que possui uma ampla base de fãs é colocar a mão num vespeiro. Fazer uma narrativa nova mostrando a mesma história de outros pontos de vista e ignorando todos os diálogos e mais uns noventa por cento das cenas na história original? Suicídio narrativo. Mas olha aqui um exemplo de onde tudo devia ter dado errado e deu certo. Em uma palavra: Arrebatador.

9° lugar: Planeta dos Macacos: O Confronto. Se você não sabe nada sobre a saga vai parecer apenas mais um filme de ação esquecível com uma pitada de originalidade. Agora se você viu o anterior e sabe onde essa estrada termina vai sentir aquele mesmo gostinho de ver a jornada do Jedi Anakin para o lado negro da força. Em uma palavra: Interessante.

8° lugar: Azul é a Cor mais Quente. Ah, a Europa. A arte, a comida, as pessoas, tipo, tudo. Adele é a protagonista desse conto envolvente, três horas de filme e tudo acontece num ritmo irretocável, ele é humano, é sensível, é inesperado, é inebriante e não é à toa que a crítica especializada se derreteu. Em uma palavra: Visceral.

7° lugar: O Hobbit A Batalha dos Cinco Exércitos. A derradeira parte da jornada de Bilbo e Peter Jackson jura ser também sua derradeira incursão pela Terra Média. Será? Um filme que deve arrancar elogios e críticas na mesma proporção, Peter Jackson aqui acertou e aqui errou, mas ainda nos dá uma obra dotadas de muitas qualidades. Numa palavra: Épico.

6° lugar: X-Men Dias De um Futuro Esquecido. A Fox disposta a esquecer os (muitos) erros do passado reconduz Bryan Singer à cadeira de diretor e faz aquele que é o filme dos mutantes que muitos esperavam desde o começo, com um texto decente e ação decente, o Magneto que nós queremos ver e um Wolverine que é importante sem tomar o espaço dos outros além de coadjuvantes que têm mais do que uma cena de três segundos. Finalmente os X-Men do cinema têm um rumo. Vejamos o que acontece agora. Em uma palavra: Grandioso.

5° lugar: A Culpa é das Estrelas. O que alguém pode dizer desse filme que já não tenha sido dito? Sim é a história de dois adolescentes que se apaixonam, mas não tem nada de clichê e é diferente de todas as outras desse gênero que você deve estar lembrando para comparar. Sim, tem aquela coisa de sei lá quem morre, mas não é do jeito tradicional, aliás, nada aqui é tradicional. É interessante, diferente e, sobretudo, bem escrito. Em uma palavra: Lírico.

4° lugar: Interestelar. Chris Nolan terminou seus filmes do Batman, mas ainda não terminou de fazer filmes para o público nerd. Se você como eu é um grande fã de aventuras espaciais recheadas de teorias supercientíficas como O Mochileiro das Galáxias ou Ender's Game, Chris Nolan nos serve um prato de lamber os beiços. É mais um filme ambientado num futuro apocalíptico sem esperança, mas tudo o que esse filme tem de "mais um" pára por aí, desse ponto em diante é terreno novo. Aviso aos navegantes, vi muita gente reclamando que assistiu e não entendeu nada, é sobre ciência, se você não estiver familiarizado com a relatividade da teoria gravitacional de Einstein, vai boiar mesmo. Mas se estiver por dentro vai curtir muito o passeio. Em uma palavra: Inteligente.

3° lugar: Operação Big Hero 6. Animação 3D da Disney + História da Marvel = Perfeição. Aos quarenta e cinco minutos do segundo tempo de 2014 entra em campo essa joia, a história do pequeno garoto gênio e seu amigo robô que têm que deter um bandido terrível e fazem alguns valorosos companheiros ao longo de sua jornada, uma história que já nasce clássica. Se o roteiro é certeiro e eficaz, a qualidade da animação não faz por menos, é de encher os olhos. Na aurora do século vinte e um cada vez mais entretenimento de qualidade é sinônimo de Marvel. Em uma palavra: Apaixonante.

2° lugar: The Way He Looks/Hoje Eu quero Voltar Sozinho. Contra o talento não existem argumentos. Bem vindo à história de um menino normal, como outro qualquer, eis a sua vida. Não faltam por aí filmes ou textos que tenham pretensão realista ou intenção de criar personagens fictícios que pareçam gente de carne e osso. Mas como nesse filme eu nuca vi. Onde tantos tentam, ele já acertou. Onde outros patinam, ele domina. Onde outros se aventuram, ele reina. Em uma palavra: Brilhante.

1° lugar: Os Guardiões da Galáxia. Depois dos Vingadores a Marvel extrapola o cenário e nos joga numa galáxia longínqua, onde 5 solitários aventureiros se juntam pelos mais egoístas dos motivos e acabam por se verem travando o bom combate. Sim, muitos filmes em quadrinhos tem sido feitos, incontáveis, mas eu não me lembro de nenhum outro que tenha me dado vontade de chorar feito esse, nem dá pra começar a listar onde eles acertaram poque simplesmente não teve onde eles não acertaram, tudo foi mil por cento, eu já devo ter assistido umas dez vezes e cada vez acho mais genial. Em uma Palavra: Espetacular.

E isso foi 2014. Foi um ótimo ano para o cinema. Duas notas de ressalva; Primeira: Fãs dos Jogos Vorazes, não peçam minha cabeça numa bandeja, estou começando os livros agora, o primeiro livro da trilogia Jogos Vorazes já está separadinho como o primeiro livro que eu lerei em 2015, e eu só assisto um filme depois de ler o livro, então não vi o filme de vocês, por isso ele ficou de fora. Segunda: Tinha também o Como treinar seu dragão 2. Desculpem, não vi também, no caso desse não vi nem o primeiro ainda, maus aí, relaxo meu. Acho que é isso. Alguns poderiam querer o Noé, alguns bateriam o pé por Se Eu ficar e teve tantos outros filmes, então não fique me xingando se seu filme não entrou, sabe, o segredo da felicidade é o dom de saber ignorar muita coisa, então faça sua própria lista e seja feliz.

 E era isso. E agora, o que o cinema nos trará em 2015?


 - Ítalo Azul - 



Nenhum comentário:

Postar um comentário